AAAAAA:

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
AAA A AAAA AA AAAAAAAAAAAA

AAAAAAA AAAAAAAAAAAAAAA AAAAAAAA AA A AAA A AAAAAAAAAAAAA AA AAAAAAAAAA.

55 992 AAAAAAA · 195 639 AAAAAAA

AAAAA

AAAAAAA

AAAAAAAA

AAAAAA

AAAAA

AAAAAAAAAA

AAAAAAAAA AAAAAAAAA
Típicos idiotas fãs de Naruto

Naruto é o anime/mangá mais famoso nos Estados Unidos, que alem de Modinha é um plágio da séries Todo Mundo Odeia o Chris, Flame Of Recca e 3 Ninjas do Barulho, que narra as desventuras de uma bichona louca da Vila da Folha de baneneira, uma favela no Rio de Janeiro. Por ser um desenho cheio de pseudo-ninjas (não são Ninjas nem no inferno), atrai o público macho[carece de fontes] para ver o casal Naruto gritando jutsu e dattebayo.

Apesar de seus protagonistas serem supostamente ninjas, você nunca vê ninguém usando roupa e capuz preto (dizem que foi o Capitão Nascimento que mandou tirar, afinal de contas só tem moleque nessa série), ou muito menos matando alguém silenciosamente, e todos têm penteados discretíssimos, e ninguém entende como eles NUNCA levaram um bom puxão de cabelo dos adversários. De duas uma: ou o criador da série nunca viu um ninja antes nem mesmo numa figurinha de chiclete, ou os japoneses jogaram milênios de uma arte sagrada ralo abaixo. O anime não tem porque apresentar Kunais ou Shurikens, pois o inimigo nunca morre quando atingido por elas.

Naruto é conhecido na atualidade por ser um anime quase que inacabável, pelo fato de que ele já passou há muito do episódio 24.6474, competindo com outros e também imensos animes como One Piece. Contudo, novas fontes apontam para o fim do anime no episódio em que Naruto atinge o estado de Super Saiyajin nível 10, despertar o 9º Sentido, obtém a Bankai de sua kunai, captura todos os 666 Pokémon, reúne todos os pedaços da Jóia de Quatro Almas (se uma raposa pode ter nove cus, por que uma joia não pode ter alma?), destruir todas as guildas negras de Fairy Tail, consegui o One Piece e um Death Note, e finalmente, ganha o título de Kami-Sama Hokage. A saga relata também em seu primeiro episódio que Kamikaze Minato e realmente é pai de Naruto. Sua mulher se chamava Uzumaki Kushina.

A maior parte dos personagens são pivetes de 12 anos que se acham Ninjas e matam os outros sem levarem bronca, todas idiotas de alguma forma, e buscando algum objetivo repetitivo e sem originalidade (e você não para de pensar enquanto assiste: "Será que esses moleques não têm absolutamente NADA pra fazer o dia todo?"). Além disso, eles vêm de famílias de baixa renda que não puderam comprar roupas de ninjas para seus filhos, por isso alguns roubaram o uniforme de algum gari da COMLURB e chinelos Rider de alguma loja desafortunada e deplorável.

Compartilhe: Compartilhe via Facebook Compartilhe via Twitter Share on Google+



AAAAAAA A AAAAAA


AAAAAA AAA...


AAAA AAAAA


AAAAAA AA AAAA
 
AAAAAAAAA
FeaturedAAA.png
AAAAA AAAAA(AA) AAA AAAAAAAAAAAAAA, AAAA (AAA)AAAAAAAAAAA AAAAAAAA AAAA AA A AAAAAAAAA AAAAAAAAAAAAAAAA AAAAAAAAAA: AAAA AAAAAAAAAAAAAA AAAAAAAAA AAAAAAA A AAAAAAAAA. AAAAA AAAAAAAAA, AAAAAAAAAAA AAAAAAAAAA AAAAAAAAAAAAA AAAAAAAAA (AAAAA, AAA, AAAAAAAAAAAAA, AA, A, AAAAAAAAAAAA.) A AAAAAA AAAAAAAAAAA AAAAAAAAAAAAAAAAAA AAAAAAAAA AAAA AAAA AA! AAAAAAAAAAAAAA. AAAAAAAAAAAAAA AAAAAAAAAAAAAAAAAAA AA A AAA AAAAA AAAAAAAAAAAAAAAAA AA AAAAAAAAAAAAAA.


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA AA A
AAAAAAAAAAAAAAA A AAAAA AAAAAAAAAA AAA AAAAAAAAAAAAAA AAA A AAAAAAAAAA, A! AAAA A? A AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA. AAAAAAAAAAAAAAAAAAA A A AAAAAAAAAAAAAAAAAAA AAA, AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA, AAAAAAAAAAAAAAAAAAA AAAA AAAAAAAAAA AAAAAAAAAAAAAAAAAA AAAAA AAA AAAAA AA. AAAAAA AAAAAAA, AAAAAAAA AAAAAAAA, AAAAAAAAAA A AAAAAAAAAAAAAAAA.


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
AAAAAAAAAAAAAAAAA A AAAAAAAAAAAAAAA AAAAAAA. AAAAAAAAAA AAAAAAAAA AAAA AAA AAAAAA, AAAAAAAAAAA AAA AAAAAAAAAAAAAAAAAAA! AAAAAAAA AAAAAA AAAAAAAAAAAAAA AA AAAA.


AAAAAAA AAAA AAAAAAAA
AAAAAAAAAAAAAAAAA AA AAAAAAAAAAAAAAAAAA! AA AA AAAAAAAAAAAAAAAA AA AAAAAAAAAAAAAAAAAAA, AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA:


Lista completaComeçar uma nova edição