Alagoinhas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Alagoinhas
"A cidade alagada"
Bandeira de Alagoinhas.png
Bandeira
Aniversário 2 de Julho
Fundação 2 de Julho de 1853
Gentílico alagadinho
Lema ALABAXÚRIA!!!
Apelidos Terra do nada
Prefeito(a) Joaquim Neto (este que nem sabe de que partido)
Localização
Localização de Alagoinhas
Estado link={{{3}}} Bahia
Mesorregião Sergipe Baiano
Microrregião Arredores de Alagoinhas
Municípios limítrofes Inhambupe, Catu, Araças, Aramari, Entre Rios, Teodoro Sampaio.
Distância até a capital 0 Km km
Características geográficas
Área pouco espaço pra muita gente km²
População 155 979 axezeiros hab. ontem
Idioma baianês
Densidade altíssima hab./km²
Altitude 0 metros
Clima Insuportavelmente quente pqp
Fuso horário UTC (+)3
Indicadores
IDH 0,6 aparentando 0,1 1510
PIB R$ acarajé² 1500
PIB per capita R$ 1 centavo por habitante 1500

Cquote1.png Onde é que eu estou? Será que eu estou na... Ops, cidade errada Cquote2.png
Velha perdida do meme sobre Alagoinhas

Alagoinhas é uma cidade do interior baiano, e embora pareça que a origem de seu nome tenha a ver com lagoas, na verdade é uma palavra de origem árabe onde "Alá" quer dizer "segurança e paz de espírito" e "goinha" significa "sem". Já foi conhecida como terra da laranja, pelos escândalos políticos da região, mas atualmente é um polo industrial de bebidas, destacando-se na produção de alcoólatras cervejas, refrigerantes e trabalhadores para a Hinodé, pois nas fábricas ninguém acha nada.

História[editar]

Seu povoamento foi iniciado no final do século XVIII quando um padre pedófilo português fundou uma capela num território bem isolado para estuprar meninas e meninos abandonados catequizar índios sem ser punido pelos Direitos Humanos. Daí, começou a próspera Vila da Furança em função da chegada de mais e mais menores abandonados. Enquanto vila, Alagoinhas recebeu vários nomes, os quais foram Freguesia da Buceta Fria, Freguesia dos Santos Pedófilos das Lagoinhas e posteriormente mais nomes e nomes relacionados a pedofilia.

Em volta da antiga igreja de Santo Antônio, na época o principal centro de pedofilia da região, várias casas foram sendo construídas, já que os padres davam pães e trocadinhos para as pessoas esfomeadas deixarem seus filhos serem abusados sexualmente por eles. Mais tarde, do mesmo modo, causado pelo desenvolvimento da vila, foi construída a estação ferroviária, que daqui a alguns anos Zeca Camargo irá visitar, pois seria tombada como patrimônio histórico da humanidade porque já está aos pedaços, assim como a velha igreja (antigamente, centro de pedofilia) que tem lá e que se bater um vento forte, cai. Sem dúvida o centro de atividades econômicas girava em torno de crianças menores e fudidas (literalmente), que iam junto com seus pais tentar uma vida melhor nessa vila.

Segundo o IBGE, o distrito de Alagoinhas foi criado no dia 15 de outubro de 1816, pertencendo a Inhambupe (uma merdinha de cidade que tem lá perto, pior até que Alagoinhas). Em 1964 foi descoberto uns poços de petróleo no município, isso fez com que a cidade se “desenvolvesse”, porém quando acabou o petróleo acabou o “desenvolvimento” e até hoje 99% da população vive abaixo da linha da miséria. Hoje, muitos bairros nem rua têm, mas o que não falta é o velho barro nas calçadas, nas ruas, nas paredes...

Geografia[editar]

Típica moradora de Alagoinhas, onde todo mundo tem direito a uma lagoa em casa.

A cidade é cortada pelos esgotos rios Sauípe, Catu, Subaúma e Quiricó, estes que, atualmente, são os rios mais poluídos da Bahia (desconsiderando as lagoas e córregos existentes na região, que mais se parecem um depósito de fezes). Mesmo assim, não se sabe como, as águas de Alagoinhas são consideradas de excelente qualidade, e alguns mais otimistas e sonhadores elevados a décima terceira potência ainda dizem que é a melhor água do Brasil e a segunda melhor do mundo (atrás apenas da água da Dinamarca).

0,1% da população é branca (geralmente de outras cidades de clima mais ameno, alguns chamam esses “brancos” de Peles Vermelhas), 0,7% são Negros, 0,2% Pardos, e o restante, 99%, são os chamados esturricados, que não pertence a nenhuma dessas raças.

Clima[editar]

Cidade de clima quente, vulcânico, fervente, tira couro, assa cu, e frita crânio (deve ser por isso que 90% da população não tem o nível fundamental completo), possui uma vegetação típica de desertos como cactos e palmas.

O prefeito da cidade, em consulta com pai de oxóssi, previu todo esse calor que fará na cidade após o ano do fim do mundo de 2012, instalou na cidade uma viação intermunicipal chamada cidade do sol (achava ele que o sol iria dar um desconto). O sol em agradecimento a cidade aumentou em 100º (cem graus) o calor exorbitante que já havia na região. Um novo projeto está sendo implantado para uma viação concorrente chamada Cidade ar condicionado.

Economia[editar]

Segundo dados da SEI e IURD o município arrecadou cerca de R$ 824,402 milhões em 2004. Os abusos de menores, portanto, são até hoje a principal fonte econômica da região contribuindo para 10% dos salários dos trabalhadores (e olhe que a renda per capita da região é de apenas 3 R$), o que faz com que as igrejas da cidade se tornem tão grandes quanto o Palácio da Igreja Universal (ô gloria) da cidade de Salvador. Ilustrativamente, pode-se mencionar que em 2001, foram registrados no município 34.181 consumidores de energia elétrica, que totalizaram um consumo de 101.227 mwh, e que até hoje não pagaram nem 10% das contas, pois a UDIMA (União das Igrejas Mercenárias de Alagoinhas) detém 99,9% de todo o dinheiro da cidade, então o povo fica devendo todo o resto.

Alagoinhas deve seu enorme crescimento a super, mega hiper, glaster, haster loja de departamentos motos. Além de revender motos, essas lojas nos fins de semana se tornam uma opção de lazer para os nativos, que vão olhar e sonhar com as lindas motos de 125cc...e no fim do passeio dominical ganham biscoito maria com cafezinho.

Existe também o Shopping Laguna, que só funciona por abarcar o SAC, a Secretaria da Fazenda, e um restaurante de gaúchos. Como estratégias de Marketing (puxação de saco ou espantar o cliente) são usados bonecos de Olinda para atrair a freguesia. O Shopping sucateado da cidade que tem um cinema com uma TV de 29’, um SAC, e apenas um único andar (o térreo) e é menor do que a Loja Barreto.

Segundo o IBGE, o município possui 666 indústrias e 3.711 estabelecimentos comerciais, que por sua vez 3.709 são bares.

No setor de serviços a cidade destaca-se por sua qualidade reconhecida nacionalmente, como os seus motéis de altíssima qualidade, que geralmente, se você for padre ganha 90% de desconto e se for pastor ganha 95%.

Política[editar]

Alagoinhas é conhecida como terra da laranja, apelido dado pelo grande número de escândalos na política envolvendo laranjas. Como toda cidade brasileira que se preze, a política alagoinense é uma pouca vergonha na cara.

Educação[editar]

Alagoinhas, muitas vezes apelidada de Monarquia do Painho ACM, é considerada a cidade do saber, pois além de bares, motéis, funerárias, loja barreto e seu exclusivo shopping, só tem escolas, ambientes onde as crianças são maltratadas desde cedo para ser tornarem robôs sem alma que vivem para estudar, escolas que te prometem tablets, iphones e a porra toda mas só dão porcarias de módulos caríssimos e uma merda de sala de informática que raramente é usada por ter computadores que metade não funcionam e a outra metade é lenta.

Saúde[editar]

A saúde é servida principalmente, pelo Hospital Regional Dantas Bião, considerado o melhor sistema de saúde da Bahia (não queira saber qual é o pior então), perdendo apenas para o hospital de Vitória da Conquista, mesmo que no Hospital de Alagoinhas não se encontre nem enfermeiros, nem médicos, nem recepcionistas, nem faxineiros, só pessoas na fila do SUS.

Lazer[editar]

Em Alagoinhas as opções de lazer são visitar bares, funerárias, farmácias, lojas de motocicletas roubadas, G Barbosa (que por muito tempo foi o único Shopping da cidade), Shopping Lacuna (com uma só sala de cinema que cheira a mofo, e exibe filmes antigos 3 meses após o lançamento nacional), oficinas mecânicas ou "festas" onde bandas de pagode e arrocha se apresentam, eventos que trazem turistas de cidades relevantes como Boa União, Aramari, Entre Rios e Inhambupe.

O problema é que após as 18h nada funciona na cidade, pois todos os habitantes estão em seus domicílios para assistir a novela das 6.

Para o lazer dos Alagodebanos moradores foi instituída a criação de vários espaços "abertos" para evento, como o espaço cheio de carrapicho Trapiche (muito bem desenhado por mostrar a vegetação existente na cidade) e o parque fantasma, invisível da cidade, localizado próximo a igreja assombrada velha(outro espaço cheio de vento e mato, onde insistem em fazer festas), perfeito para quem quer brigar, matar, roubar e fazer sexo sem pagar um dos motéis da cidade.

Turismo[editar]

Turista pobre tirando foto em frente as ruinas da Igreja de Alagoinhas Velha

Por falta de pontos turísticos, aceita-se que uma igreja feita pela metade é o grande ponto turístico da cidade. Simbolizando toda a preguiça baiana desde o século XIX, é um símbolo de como nada em Alagoinhas fica pronto na data prevista, esta igreja por exemplo, a obra mais atrasada da história da humanidade, já a 300 anos sem ser concluída, sem dúvidas a Igreja de Alagoinhas Velha merece a sua visita. Santo Antônio é o padroeiro de Alagoinhas, mas a Igreja mais famosa é a Igreja de Alagoinhas Velha que não tem santo nenhum e nunca foi terminada.

Outra obra inacabada que simboliza a preguiça baiana e deve ser visitada é a Estação Ferroviária de Alagoinhas, toda caindo aos pedaços, é tão antiga que se tornou patrimônio histórico da humanidade.