Black Friday

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Para outros significados de Friday, ver Friday.


As verdadeiras promoções do Black Friday.

Cquote1.png Você quis dizer: Black Fraude Cquote2.png
Google sobre Black Friday
Cquote1.png Você quis dizer: Pegadinha do Mallandro Cquote2.png
Google sobre Black Friday
Cquote1.png O verdadeiro humor negro! Cquote2.png
Você sobre promoções do Black Friday
Cquote1.png É meu pinto gordo e marrom! Cquote2.png
Gil Brother sobre Black Friday
Cquote1.png Corre Bino, é cilada!!!! Cquote2.png
Pedro sobre Black Friday


Black Friday (do inglês: Sexta-Feira Afro-Americana), também conhecido como Black Fool's Day, é um tradicional dia de promoções nos Estados Unidos que ocorre toda primeira sexta-feira depois do Dia de Ação de Graças.

Como toda moda gringa, países do Terceiro Mundo como o Brasil têm incorporado o Black Friday por imposição do Banco Mundial e do FMI para poderem participar do seu joguinho de Banco Imobiliário (ou Monopoly, como eles preferem), ainda que como café com leite.

Em 2018 pela primeira vez o Black Friday será integrado ao sistema de cotas, ganhando alguma vantagem sobre o Sunday Bloody Sunday, a Sexta-Feira 13, a Sexta-Feira Santa e o Sábado de Aleluia.

Origem[editar]

Móbile de CDs feito com o single de Rebecca Black.

O Black Friday começou em 1929, durante a Grande Depressão. Naquele ano uma jovem cantora amadora de nome Rebecca Black resolveu produzir um single chamado Friday e lançá-lo no YouTube. Um grupo minoritário de teóricos em Economia Global defendem a tese de que foi a canção de Rebecca que causou a depressão, afinal, eita musiquinha deprê...

Apesar da grande repercussão do videoclipe (em grande parte por conta do fracasso épico em potencial), as vendas do single não decolaram. Foi então que o produtor da jovem resolveu lançar o "Rebecca Black's Friday Sale", com descontos de até 174% para quem adquirisse o CD.

O sucesso foi imediato: hippies e camelôs compraram o single aos montes para fazer aqueles móbiles de CD (na época não havia o CD da AOL).

Percebendo o potencial da data, lojas de outras áreas aderiram àquela data como um dia anual de descontos, o "Rebecca Black's Friday Sale" tornou-se "Rebecca Black Friday's Day", depois foi chamado "Black Friday's Day", e finalmente "Black Friday".

Uma história alternativa, é que sua origem veio de um jovem obeso chamado Molina. O jóvem Molina(A.K.A. Guimba) sempre se vestia de preto, e não parava de ganhar peso e área, de tanto crescer, um dia do ano foi dedicado a ele, nascendo assim a Black Guimba's Friday, tornado-se apenas Black Friday.

No Brasil[editar]

Resultado da Maldita incrusao digitau e das imposições de órgãos reguladores de finanças e comércio internacional, o Black Friday chegou ao Brasil no início da década de 2010, prometendo solucionar todos os problemas "dus pobri" em relação as compras de Natal.

Uma cartilha foi lançada pelo Programa Nacional de Fomento da Picaretegem no Rabo (PRONAFOPICU) para auxiliar o comerciante na implantação da Sexta-feira Afrodescendente no Brasil.

Guia passo-a-passo de implementação do Black Friday no Brasil para iniciantes:
  1. Tome o preço do produto (P) que deseja vender com desconto
  2. Multiplique-o por 3 (P×3). Ou 3,3 (P×3,3) se você tem uma loja virtual pretende oferecer frete grátis.
  3. O valor obtido será o preço "original" (O) do produto: (O = P×3)
  4. Ofereça o produto com entre 66% e 70% de desconto sobre o preço "original" (D = O-O×0,7).

Exemplo:

  • Preço de um microondas na quinta-feira: R$ 200,00
  • Preço de um microondas no Black Friday: de R$ 666,66 por R$ 198,13 (70% de desconto). Frete grátis!
Exemplo da aplicação do Black Friday no Brasil.

Como aproveitar o Black Friday[editar]

Clubes de futebol que estejam em más campanhas também aderem ao Black Friday.

Assim como megashows de bandas e cantores internacionais, para aproveitar o Black Friday exige-se uma grande disposição e entrega.

Como as melhores ofertas se esgotam rapidamente, para ter alguma chance de comprar algo realmente interessante com algum desconto real, é comum que pobres como você e eu durmam em filas em frente as lojas por dois, três, quatro dias; mesmo uma semana. Como resultado da persistência, tais clientes costumam conseguir descontos grandes, economizando valores médios de R$ 800,00; e perdendo seus empregos por faltas não justificadas — o salário médio desses indivíduos gira em torno de R$ 1.345,00[1].

Ver também[editar]


Ligações externas[editar]

Referências