Cotiporã

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome-searchtool blue.png Cotiporã é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Se o Bin Laden tivesse se escondido aqui, ninguém teria achado.

Sciences de la terre.svg.png
Duas pessoas praticam um esporte chamado "esperar o trem passar por cima de nós dois "ing"".

Cotiporã é uma cidade da serra gaúcha. Conhecida como "a jóia da serra", um apelido que sequer os moradores conheciam, é atribuída com orgulho pela prefeitura que gosta de aparecer com esse título dado justamente por um Ex-BBB da cidade, por isso ninguém sabe o porquê do apelido.

Nomenclatura[editar]

Cotiporã em tupi significa "Suicídio em massa por tédio". Nome meio curioso. Talvez remeta algo a respeito de sua colonização. Agora vamos ao prato principal: o apelido da cidade que é colocada no alto de cada prédio, cada casa e no portal da cidade, tudo pensando que alguém vai ter o mínimo de civismo para se importar com a cidade.

"A Jóia da serra" vem das pedras preciosas que ela conseguiu produzir, mas que não existem mais pois acabaram rápido, isso! Ninguém tirou nada antes de todo mundo mas sim porque simplesmente acabou! Jóia da serra não remete a beleza das Cotiporãnzenses. Então tome cuidado! Em cidades pequenas homens feios se casam com mulheres feias gerando mais gente feia no mundo.

O motivo? Falta de opção mesmo.

História[editar]

Cotiporã foi colonizada por um grupo de gaúchos que acreditava mesmo que podia se sair bem sucedido de sua vida se se estabelecesse em um lugar como Cotiporã. Deram um nome tupi para esconder que na verdade eram imigrantes alemães. E como houve uma época de paranoia no Rio Grande do Sul que nem podia mais saber quem estava chegando lá começou a prender todos da cidade que tinha nome estrangeiro.

Tudo baseado em Santa Catarina que quase conseguiu nazismo de brinde. Talvez pela grande quantidade dos mesmos que acabaram chegando por lá. Enfim, os colonizadores de Cotiporã ficaram com muito tédio um dia. O último a ver isso foi o líder da aldeiazinha. Todos sentaram-se na rede e ficaram bebendo vinho. Até que um dia, acabou o vinho, entao começaram a beber agua com algas, a reação, nao foi boa, começaram a surgir uma nova espécie de pessoas, os fofoqueiros, que acabaram dominando a cidade.

Eles tinham notado que a vida era chata lá.

Então, viram um grupo de toupeiras se jogando de um penhasco, resolveram fazer o mesmo, diminuindo consideravelmente o tamanho da população de Cotiporã. A vida continua normal mesmo assim até virar um município.

Turismo[editar]

Usa o ecoturismo para não dizer "não há turismo nessa merda de cidade, por isso não temos hoteis" mas a prefeitura foi mais criativa e usou um turismo que ninguém usasse: o de esporte. Dizendo que "muitas pessoas" iam para lá fazer esportes como o rafting, que é o mesmo que "barco a remo" em um rio pequeno e sem-graça nos arredores da cidade. Falando dos hotéis, que a cidade não tem, ainda por cima não tem banheiro individual. A prefeitura municipal, e seu ilustríssimo careca municipal (prefeito), preservam o clima "rústico" da cidade, evitando de toda forma que tenham estradas para tal maravilha. Há boatos que futuramente a cidade será tomada por "bichos grilo", uma vez que o "fuminho" já rola solto na cidade. Toda vida que Cotipo City é melhor que Gramado. Quem é que quer desfrutar de hóteis, comida e coisas bonita, quando se tem a montanha do tédio na frente?

Atrações turísticas[editar]

Eles tem lá também, não só remo mas sim bicecross. Que é a única coisa que atrai gente de passagem a pousadas, não hoteis. Mas digamos que não é lá um sucesso.

Campanha Política[editar]

Essa é uma época muito legal na cidade, que ocorre a cada dois anos. Nessa época, a cidade muda o seu caráter de tranquilo e pacato pelo do UFC. Até Anderson Silva tem medo de andar na cidade nessa época. A época mais "divertida" é a eleição de prefeito e vereadores. Pessoas que não se suportam, viram amigos... vizinhos passam a se odiar... fecham o pau na rua, se xingam de "bonito" pra baixo, tudo por uma carga de brita ou pelo asfalto pra bento! Dizem que a Globo está comprando os direitos autorais para fazer uma novela.

Acessos[editar]

Por veranópolis, bento e guaporé..... tudo lindo e maravilhoso, parece estrada de cinema... a do parque dos dinossauros, que só serve para tanque de guerra e veículos militares. Asfalto pra que, se a promessa dele elege prefeito de 4 em 4 anos. Vamos manter a cidade fora da civilização mesmo, quem sabe um dia Fagundes Varella anexa Cotiporã.

Botecos "moquifos" da cidade[editar]

Bar do Ferro, localizado no centro da minúscula cidade, é rodeado por trabalhadores de fim de tarde que vao lá pra degustar o famoso 51 com bitter, uma pinga de boa qualidade feita por colonos de lá mesmo, sem falar q o bodegueiro é um ser de um clã inexistente nessa regiao... o clã dos tiradores de onda da cara dos outros, ali encontraremos as mais diversificadas personalidades da city, Tchaka pudim de vinho, Alan da Corsan, Mauro Arruaça Marcon, Ani Choke, Samuel Pinguço Tonet, Olivio Peludo Paludo, Joaquim Pouca Esperança, Bombril, Taparelo Loko, Jon Kebra Mesas Bergamin e etc...

Bar da Ines do Bika, localizado nas proximidades do cemitério, conta com um vasto cardapio de bebidas falsificadas e de alto preço, com 2 mesas de sinuca com caimento e um belo banheiro de bar de beira de estrada.

Bar do Chico Bobo, situado no bairro Zalamena, mais conhecido como bairro ratolandia, conta com atendimento de 5° categoria e funciona tambem como mini-mini-micro mercado. E tem o Aaaaaaaaaaaaaaaido.

Bar do Celante,atende todos os dias do ano exceto nas 2°,3°,4°,e 5° feira, conta com uma cancha de 48, esporte muito acirrado e disputado na cidade, tão famoso quanto o arremesso de queijo de porco.

Bar do Gui, lancheria e bodegão, atração da cidade trazendo um enorme público nos finais de semana (17 pessoas), com shows acústicos e diversas atrações tais como Kiss, Deep Purple e Guns N Roses, Pink Floyd sem contar q o atendimento é bom que taloco e a cerveja alem de boa é bonita e barata igual os sapatos volpato.

Bar da Neri do Jaime, situado na saida da cidade, um barzinho modesto q acolhe os caipiras da redondeza. É açougue e já foi central de assamento de carne, aonde os poca voia da cidade levavam churrasco pra assar no domingo.

Bar da Crotilde, uma bodega historica desde a epoca de 1672 +-, onde encontramos os borrachos mais conhecidos da comunidade, kide Taffarel, Xerife do Asfalto, Carlesso da chapa de fora, Zé nilto e sua amada esposa Conhaque, Tiao e etc etc etc...

Bar do Nelde Lira, conta com um grupo de velhos veteranos citadinos, conhecido pelo batismo... da cachaça, mais adulterada q combustivel da "Iporanga"

Budas Bar, o dono é um lendario monge budista vindo das mais distantes profundesas do Rio Carreiro na capela de Fatima... conta com o atendimento de lindas garotase os mais variados sabores de X: x ao rato, x carpa ungra, x minhoca, x quaresma e o x cagoto.

Bar do Benneti e bar do juca, ficam um de costas pro outro, la encontramos a maioria dos magnatas falidos atraídos pelo jogo de cartas, que brigan no juca e vao se lograr no Benneti

Bar do Beliski, com uma vasta clientela (4 pessoas),é um estabelecimento distinto e remoto da grande metropole.

Bar das Canabarro, perto do ginásio de esportes. Os sem voia da cidade vão lá para poder cuidar quem entra e sai da cidade, uns 5 por dia e olha lá.