Desnotícias:Catimba argentina não salva Hermanos de serem humilhados pela Croácia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

FIFA WORLD CUP 2018.png Esta desnotícia é parte do projeto DesCopa Russia. Na Rússia, a Copa se informa sobre VOCÊ!

NINJA NOVGOROD, Terra da Vodka - Estádio do Ninja do Negão

Se a Seleção Brasileira não contribui para trazer pelo menos alguma alegria para um povo fodido que vive na merda (esse país chamado Brasil), pelo menos nossos hermanos não decepcionaram em trazer alguma alegria para o brasileiro. Com a ajuda de um Messi que a cada nova Copa do Mundo comprova que só ganha Bola de Ouro porque joga num time feito o Barcelona usando pilhas humanas como o Iniesta, a exibição que marcou o jogo foi a do goleiro argentino Caballero, que tornou-se ídolo brasileiro juntamente com o técnico ao sabotar a seleção argentina nesta linda pixotada.

Primeiro tempo[editar]

O jogo começou com uma Argentina razoável, fazendo o que sabe fazer de melhor, que é errar gols incríveis e desperdiçar oportunidade de abrir o placar. Destaca-se o Pérez, que errou um gol que até o Finnbogason faria. Do outro lado, porém, a Croácia não era nada boba, e explorava o seu principal aliado: a terrível defesa da Argentina, criando também boas chances de gol.

A tática da Argentina era ir trocando passes até o momento em que um croata caísse no chão, para que assim um argentino tentasse um chute (errado), enquanto a Croácia se beneficiava da péssima defesa argentina e parecia saber jogar bem o futebol. Mas o primeiro tempo ficou no 0x0 mesmo.

Segundo tempo[editar]

Leandro Karnal, filósofo e agora herói brasileiro, comemora por ter mais assistências que Messi na Copa.

O segundo tempo foi muito mais movimentado! Foi nele que aconteceram todos os gols do jogo. Isso porque, incomodado com um Messi que não fazia nada, logo no começo do segundo tempo o goleiro Caballero tentou fazer bonito e dar balãozinho num croata após bola recuada, mas foi tarde demais quando ele recordou que era ruim com os pés, e o que fez de fato foi dar uma ajeitada para que Rebít fizesse um gol de graça.

Messi ainda resolveu por alguns minutos tentar empatar esse jogo sozinho, mas como ele não está no Barcelona tendo ajuda de outros super astros, o hobbit não conseguiu furar a defesa croata (na verdade ele foi se esconder no meio da zaga croata para fugir, mais uma vez, da responsabilidade de comandar a Argentina). Enquanto isso, Jorge Sampaoli deixou sua função de técnico e passou a trabalhar de gandula, passando a devolver as bolas para o jogo a fim de tentar dar mais dinamismo à partida. Agora sem comando, a Argentina já normalmente desorganizada se desorganizou ainda mais, e aí ela perdeu qualquer chance de empatar ou marcar.

Aos 35 minutos, o astro croata Môdrit foi quem decidiu testar como a zaga argentina era ruim, pegando a bola, dando dribles básicos, e metendo um chute para fazer o segundo gol croata.

Percebendo que eram ruins em atacar, ruins em defender, ruins em possibilitar ao Messi fazer algo de útil... enfim, ruins em tudo, os argentinos decidiram apostar nos seus talentos mais clássicos: a catimba e a intimidação! Já começou com Otamendi, chutando a bola na cara de um croata. Depois com Acuña, fazendo falta de bunda em outro croata.

A estratégia da catimba não deu muito certo, porque é óbvio que isso não soluciona o problema de ter uma defesa terrivelmente falha. Isso ficou claro quando Mascherano, ao invés de marcar, deixou o braço levantado achando que ainda estava no Corinthians. O bandeirinha não roubou a favor da Argentina e ficou fácil para Raquitíti (não confundir com raquítico) marcar um típico gol de churrasco após trocar trocentas tabelinhas na pequena área argentina sem qualquer marcação.

Fim de jogo: 3 para a Croácia e zero para a favorita (segundo os especialistas). Festa brasileira nessa copa, só mesmo com a derrota da Argentina.


Fontes[editar]