Desnotícias:Sem ter o que fazer, MP do Rio pede afastamento de incendiário do comando da CBF

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Desnoticias logo.png

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

INFERNO DE JANEIRO, Brejo brasileiro

Nero, o imperador da CBF junto a seu principal patrocinador, José Maria Marin, este por sua vez com a capivara maior e mais bem alimentada que muito chefe de morro carioca.

A crise no Brasil está foda. E está pegando todo mundo, o padeiro da esquina, o motorista de ônibus da sua cidade, o Internacional (que está mais do que fodido na Série B), eu, você (esse que sempre esteve na merda...), o governo, a CBF até o judiciário, sem ter o que julgar acaba tendo que interferir em instituições de privada. Em razão desse marasmo todo o Ministério Público resolveu pedir aquilo que Juca Kfouri e seus colegas na ESPN pedem todo santo dia: a saída do pai de Alexandre Nero do assento mais acolchoado da sede da CBF. O motivo dessa vez é porque Marcos Polo do Nero resolveu fazer uma festinha privada com seus amiguinhos sem convocar os presidentes dos clubes e mesmo que estivessem não fariam diferença nenhuma (bundamolismo).

Com a ação, os promotores visam atender os anseios de comentaristas e apresentadores esportivos que tem por predileção terceirizar a culpa em derrotas esportivas, o que acabam sobrando sempre ao velho broxa no comando da CBF. Ao mesmo tempo, os promotores querem mostrar serviço, deixando que o inerte Ministério Público Federal ou o Ministério Público de Brasilia cuide das maracutaias temerárias.

Enquanto isso, o Ministro do Curral Econômico brasileiro, Henrique Meirelles, continua trabalhando.

Fontes[editar]