Despoesias:Minha musa, eu amo ela

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Despoesias.png
Gregorio-de-matos.gif

Este artigo é parte do Despoesias.

O seu Cancioneiro/Romanceiro livre de conteúdo.

{{#css:

  1. mw-head{background:transparent !important;}

.fakelogo { position:absolute !important; top:-110px; left:-210px; z-index:100; }

  1. siteNotice{display:none !important;}
  2. p-logo a {background:transparent !important;}

}}



Minha musa, eu amo ela



Minha musa

eu amo ela

meu coração por ti gela!

Ela mija champagne

menstrua cabernet

e defeca doces churros.



Teu odor imundo

espanta longe, longe

os mosquitos transmissores da dengue

em direção ao Rio de Janeiro.



O cabelo seboso - e pentelhos idem

servem para calafetar

a boca de quem nos inveja.



Por isso

grito e esbravejo aos quatro ventos

para todo o mundo ouvir que

Mãe, prá mim só tem uma: a sua!!

Aquela véia de lúbricos gozos...