Diário Gaúcho

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa



O Diário Gaúcho é mais um jornal editado pelo Grupo RBS, um grupo mafioso de mídia do Rio Grande do Sul. É editado em formato tabloide, e em cores berrantes e chamativas.

História[editar]

Nelsinho pronto para dominar as classes mais populares

Certo dia, Nelsinho percebeu que não poderia dominar o Rio Grande do Sul sem chegar até as classes mais coloradas desfavorecidas, e então, resolveu criar um jornaleco para propiciar a inclusão de milhares de leitores no mercado de jornais e acesso à notícias. Para melhor se aproximar do seu público-alvo, o jornal adotou uma linguagem chula popular, com matérias voltadas para o Sensacionalismo a realidade da população "trabalhadora da periferia".

Linha editorial[editar]

Seus jornalistas cometem um crime e ainda espalham isso aos quatro ventos!

O Diário gaúcho é conhecido pela criatividade de suas matérias, especialmente a manchete na capa do Jornal, cujo principal objetivo é levar ao conhecimento do público gaúcho a realidade da periferia de Porto Alegre, formada pelas vilas de Viamão, Novo Hamburgo, Alvorada, etc... Na capa, também sempre há a foto de uma gostosinha (Ou não), mostrando que o jornal tem conteúdo e não precisa apelar para ganhar leitores.

Público alvo[editar]

O público-alvo é formado por favelados classes economicamente desfavorecidas, assim, o jornal custa quase nada, que é para o pessoal do Bolsa-Família poder comprá-lo. Para atrair este seleto grupo de leitores, o jornal lança promoções ao estilo "Junte e Ganhe", no qual o infeliz leitor colecionará selos, e ao completar a cartela, poderá trocar por produtos geralmente inacessíveis à esta classe social, como panelas, copos, tijelas e dentaduras.

Problema[editar]

Entretanto, o fato do jornal ser utilizado como Troco, em substituição às moedas de 1 centavo, resultou em uma ação contra Nelsinho,por crime contra o sistema financeiro, baseada na Lei do Colarinho Branco. Misteriosamente, esta notícia não teve repercussão em qualquer jornal, rádio ou TV do Grupo mafioso RBS.
Nelsinho nega as acusações e já foi procurar seu amigo Tarso Genro Celso Roth, para cobrar o apoio prestado nas eleições estudar a melhor defesa.