Férias de Rico

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Dios1.png Importante! A Igreja Universal quer sua atenção!

Deus quer que este artigo seja ampliado.
Aqueles que o fizerem, serão ajudados pelos seus tentáculos. Os que ignorarem, irão para o inferno pra sempre.
Não seja herege e obedeça a verdade única e divina!


Cquote1.svg Você quis dizer: Oslo Cquote2.svg
Google sobre Férias de Rico
Cquote1.svg Você quis dizer: Miami Cquote2.svg
Google sobre Férias de Rico
Cquote1.svg Ai mãe, essa viagem já tá enchendo! Cquote2.svg
Patricinha, ao desembarcar no destino da viagem com a família
Cquote1.svg Na União Soviética, as férias tiram VOCÊ!! Cquote2.svg
Reversal Russa sobre Férias de Rico

Ao contrário das Férias de Pobre, as férias de um rico é mil e uma maravilhas. Primeiro, porque com dinheiro pode ir para onde quiser, segundo porque geralmente os ricos não precisam aturar um bando de pobres fazendo bagunça do lado.

Destino[editar]

Miami, a capital das Férias de Ricos.

A primeira coisa que um rico pensa é: "Onde vou passar as férias?". Geralmente, o destino da viagem é algum lugar estrangeiro, podendo ser quente e ocidental como Miami, Disney, Flórida, Cancún, Bahamas e outras ilhas caribenhas, como também exótico, aventureiro e pura ostentação em Phi phi, nas Ilhas Maldivas e Nova Zelândia, ou algum lugar lindo e frio, como Oslo, Copenhague, e Suiça. Pode ser lugares tradicionais também que sempre agregam valor a viagem e de vez em quando encontrar amigos igualmente ricos, até porque frequentam os memos lugares, como Paris, Londres, Nova Iorque, Milão... Ou é algum lugar no Brasil que seja famoso, como Fernando de Noronha, Gramado e Rio de Janeiro (apesar que com essa violência ultimamente o Rio está mais pra férias de pobre), Fortaleza, Salvador, Maceió, entre outros.

Ultimamente 90% dos ricos vão para Miami para ter mais tranquilidade.

Quando tirar férias?[editar]

Na verdade, quase todos os dias é dia de férias pros ricos, afinal eles quase não trabalham e podem viajar quando quiser. Porém, ricos preferem viajar em janeiro, junho, julho ou dezembro, meses tradicionais de viagem de pobre, porque gostam de esnobar os pobres-coitados que vão pro litoral paulista e que eles vão pra Europa.

Como ir?[editar]

Ao contrário dos pobres, que vão de carro (com umas 8 pessoas), de ônibus ou qualquer outro tipo de transporte ineficiente, os ricos preferem ir de avião ou jatinho particular.

Bagagem[editar]

As bagagens são enormes, e naturalmente todas as malas devem ser Louis Vuitton e custar pelo menos 5 dígitos em euro. A madame (esposa de um milionário) sempre quer levar todos os kits de maquiagem, seus vestidos de marca cara, roupas mais simplesinhas, celulares, joias, acessórios e centenas de pares de sapato. O maridão sempre leva aquele relógio caríssimo (presente de casamento da esposa), camisetas, calças, xortes, celulares, agenda eletrônica, notebook e, claro os cartões de crédito e cheques. O filho leva camisas, camisetas, bermudas, celular, mp4, gel, e tênis da Quicksilver ou Giorgio Armani, que para quem não sabe (afinal pobres como você não devem saber mesmo) também produz tênis.

Já a filha, porém, é a mais neurótica (quase como a mãe), principalmente se for uma paty. Ela leva seus topless, shortinhos de grife, biquínis, um monte de colares, pulseiras e brincos, celular, chapinha, secador de cabelos,xampus, cremes, sapatos, cartão de crédito, vibradores e outras porcarias.

A chegada[editar]

Ricos torram dinheiro para ir a Machu Picchu para ver isso!

Quando uma família rica chega no hotel cinco estrelas ou numa casa, a primeira coisa que fazem é ir pra piscina. A partir daí, cada um faz o que quiser.

O maridão geralmente pega o notebook e começa a checar os e-mails e acompanhar a cotação do dólar; a esposa vai comprar roupas e sapatos, ou então conversar com outras madames; o filho sai pra alguma balada ou então se encontra com outros playboys e vão tentar "catar" umas minas; já a filha vai trocar de roupa e colocar uma 15 pulseiras, pegar um iPod, e ir torrar o dinheiro do paizão no shopping com as amigas.

Isto se repete quase todos os dias, sem nenhuma mudança muito grande. O máximo que possa acontecer é o paizão querer obrigar todo mundo a fazer um city tour pela cidade.

Volta pra casa[editar]

Na volta, quando chegam em casa, geralmente estão tão branquelos do mesmo jeito que saíram, ou então completamente queimados, vítimas de longa exposição ao sol da Flórida, ou estão simplesmente congelados, se foram para Oslo. A madame vai logo ao shopping comprar mais roupas e sapatos, o paizão vai trabalhar no dia seguinte, o filho fica horas no MSN Messenger conversando com os amigos e a filha vai imediatamente ligar para as amigas e marcar uma balada para o próximo fim de semana.

Ver também[editar]