Mastectomia estética

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
O objetivo da Mastectomia estética é fazer as mulheres não terem mamilos e ficarem iguais à Barbie

Cquote1.png Eu aprovo! Cquote2.png
Mahmoud Ahmadinejad sobre Mastectomia estética
Cquote1.png Eu também! Cquote2.png
Hitler sobre Mastectomia estética
Cquote1.png Na União Soviética, os mamilos removem VOCÊ! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Mastectomia estética
Cquote1.png Na Holanda, os mamilos se removem sozinhos, não precisam de cirurgia nem de VOCÊ! Cquote2.png
Reversal Holandesa sobre Mastectomia estética
Cquote1.png Eu tenho medo! Cquote2.png
Regina Duarte sobre Mastectomia estética
Cquote1.png Isso non ecziste! Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Mastectomia estética


Mastectomia estética foi uma criação do cirurgião plástico nazista, o Professor Doutor Klaus Barbie, conhecido por suas famosas cirurgias realizadas em Lyon pelo apelido carinhoso de "o carniceiro de Lyon", e faz parte do processo de barfieficação das mulheres, que consiste em pegar mulheres gostosas e transformar em réplicas em tamanho natural da boneca Barbie.

A mastectomia estética costuma ser a fase final do processo, que começa com a pigeotomia (a eliminação de toda a bunda), a estimesitomia (remoção da cintura) e o implante de silicone.

Apesar de a maioria dos homens heterossexuais considerarem esta cirurgia uma aberração e um crime contra a Humanidade, ela vem ganhando adeptos a cada ano, e vem fazendo vítimas no mundo da moda, fazendo com que várias gostosas se retirem do mercado por se recusarem a se submeterem a esta cirurgia, ou por transfomar outras gostosas em monstros sem mamilos.

O principal motivo para o sucesso desta cirurgia estética é dar apoio a censura que impera em países atrasados como Estados Unidos, China e Brasil, onde existe censura na televisão e as mulheres são proibidas de mostrar o mamilo. Assim, ao se submeterem à mastectomia estética, muitas modelos, apresentadoras de televisão, atrizes ou piriguetes podem usar roupas decotadas, sem correr o risco de levar a emissora que as exibe de ser punida com multas, suspensões ou, no caso da China, tiro na nuca dos donos.

No Brasil[editar]

A moda da mastectomia estética demorou para penetrar no Brasil por causa da influência do Carnaval onde, até mesmo no início do Século XXI, quando a censura já tinha voltado à televisão, ainda era normal as mulheres desfilarem com os mamilos nus.

A última Globeleza verdadeira, Giane Carvalho, foi, porém, a causa da derrocada da mulher de verdade e a vitória da mastectomia estética. Quando a Globeleza original, Valéria Valença, anunciou que iria se aposentar, em 2004, a Rede Globo, em uma jogada de marketing, promoveu um concurso para escolher a seguinte e, ao contrário dos demais concursos, que são de fachada, neste foi realmente escolhida a mais gostosa e não a que passou no teste do sofá.

Só que, no ano seguinte, como Giane ainda se recusava a fazer o teste do sofá, a Rede Globo alegou que ela deveria se submeter à mastectomia estética, porque eles queriam penetrar no mercado americano, e a Globeleza não poderia mais expor seus mamilos. Como Giane se recusou, ela foi substituída por Aline Prado, que já havia extirpado seus mamilos. Desde 2006, para tristeza dos apreciadores da forma feminina, nunca mais foram exibidos mamilos nas vinhetas do Carnaval.