Courrupção, ora pois

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
PortugalDJoãoscary.jpg Manuel, vê-me dois cäcətinhos, o pá!

Æstə ärtigo é purtugäish, gajo. Élə comə cacətinho cum bəcalhau, tuma um ishtränho vinho, adora cumpetir cum a Ishpänha e tem um bigodão.

Se vəndalizarish, um bäenfiquista vai atrás də tua mãe

Nazifascist.jpg Este artigo foi tomado por fascistas!

Na Itália e na Alemanha, os Camisas Negras e Pardas amam o fascismo e exterminam você, seu comunista!


Wikisplode.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Política de Portugal.

A Política de Portugal, ora pois, é o sistema corrupto portugays onde o Ditador da Republica e o Primeiro-Ladrão de Portugal pegam todo o dinheiro para eles e depois recebem o dobro de votos nas eleições. O sistema ditatorial é dividido em várias partes, sendo elas:

Poder Ditatorial[editar]

O poder ditatorial, popularmente conhecido como poder executivo, é o máximo poder de Portugal, aqui é onde os maiores Políticos Honestos e democráticos Políticos Corruptos, mentirosos e fascistas trabalham. Sendo estes cargos:

  • Primeiro-Ministro - O líder supremo da Corrupção e desvio de dinheiro português, é o cargo máximo de Portugal, também conhecido como Primeiro-Corrupto português. É de sua responsabilidade garantir a integridade da corrupção no sistema político, tendo como principais funções nomear ladrões para cada um dos ministérios. O cargo é dado ao ditador da maior Máfia de Portugal, onde o Presidente o nomeia e pode o demiti-lo caso ele não seja corrupto o suficiente.
  • Presidente da República - O Grande Ditador da Republica Portuguesa é o cargo politico mais alto da nação, tendo o controle supremo sobre todas as armas e todos os militares portugayses, podendo iniciar uma guerra ou parar uma a qualquer momento, aparentemente, alem de fascista esta ditadura também é militar. Ele tem a responsabilidade de fiscalizar se o Primeiro-Ministro e os outros ministros estão sendo corruptos o suficiente. No caso da assembleia estar pouco corrupta e com muitos dedo-duros, é capaz do presidente dissolver a assembleia e iniciar novas eleições legislativas, comprando os votos para os corruptos, e matando os candidatos não-ladrões.
  • Ministros - Estes são os responsáveis por cuidar da corrupção em diversos setores, desviando toda a verba pública destas áreas para seus bolsos e para o bolso dos membros de seu partido e do primeiro-ministro é claro...
  • Secretario de Estado - Os auxiliares dos ministros, eles os ajudam os mesmos a roubar em troca de parte do lucro, eles também são usados pelos ministros como escudo, os culpando caso descubram um esquema de corrução.

Poder corrupto[editar]

Dia comum na assembleia.

O poder corrupto, também conhecido como poder legislativo, é o poder responsável por impedir a aprovação de leis anti-corrupção e também por criar leis que tornem mais fácil a corrupção no país, alem de também poder mudar a constituição para facilitar a corrupção. Eles geralmente são pagos pelos membros do executivo para facilitar seus esquemas de corrupção. Seus membros são:

  • Deputado - Eles são os membros da assembleia de Deus. Sua função primeira é a de criar leis para beneficiar os corruptos do poder executivo, em troca de parte do dinheiro roubado. Eles também podem desviar dinheiro, porem necessitam do auxilio de algum membro do executivo. Os partidos políticos tem o dever de ajuda-los a assumir o cargo, assim comprando os votos deles. Eles não servem para Porra nenhuma e a unica utilidade deles é eleger o Primeiro-Ministro.
  • Vereador - O cargo que mais sofre bullyng nas eleições, apesar de ter um poder extremamente alto. Eles são os responsáveis por cuidar da roubalheira na cidade, sendo responsáveis por desviar toda a verba pública dos municípios para os seus bolsos e para os bolsos dos membros do executivo. Antes mesmo das eleições, eles mesmos já decidem quem vai ganhar e quem vai virar o Presidente da assembleia municipal.

Poder da Propina[editar]

O poder da propina, ou poder judiciário se você é um manipulado, também conhecido como poder do leilão, é o sistema onde quem paga mais manda. O poder judiciário é dividido em:

  • 1) Civil - São os leilões entre empresas e organizações onde a empresa mais rica e mais disposta a pagar ganha.
  • 2) Penal - Se você descumpriu alguma lei que o juiz gosta, você vai preso, amenos que pague a propina.
  • 3) Trabalhista - Estipulam uma taxa, se o patrão pagar ele ganha, se não pagar, ele vai preso.
  • 4) Eleitorais - É melhor que tu não seja de um partido rival...
  • 5) Militares - Aqui é o contrario, se você tiver um pelotão contigo e o juiz te prender, vai ter sangue no tribunal...
  • 6) Federais - Quando o governo paga para liberta-lo.

Os cargos que cuidam disso são:

  • Juiz - (A.K.A ganhador de propina) É leiloeiro, quem pagar mais ganha a liberdade ou a prisão do inimigo.
  • Advogado de Defesa - (A.K.A pagador de propina) É o representante do incriminado no leilão, se ele tiver mais dinheiro que o de ataque, ele ganha.
  • Advogado de Ataque - (A.K.A sabotador de propina) É o cara que xinga o de defesa no leilão e se ganhar, ganha, se perder, nada acontece(Nem o salário...).
  • Júri - (A.K.A não faz nada e ganha propina) É o inspetor financeiro do grupo, eles veem quem realmente pode ou não pagar.

Sistema partidário[editar]

As máfias portuguesas, também conhecidas como partidos, são organizações criminosas altamente perigosas que cuidam do governo do país e são os responsáveis por controlar a corrupção para que seus membros não sejam percebidos. Sendo eles:

Esquerda[editar]

  • B.E - O Bloco Esquerdista corrupto é o partido que ocorreu quando o partido União Democrática Popular comprou a Frente Esquerda Revolucionária, o Partido Socialista Revolucionário comprou a União Democrática Popular e o Política XXI comprou o Partido Socialista Democrático. Eles são comandados por Holandeses que são a-favor do casamento Gay e da Maconha.


Flag-map Portugal.png
Portugal
HistóriaPolíticaSubdivisões
GeografiaEconomia
CulturaTurismo