Sala de Redação

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Wikisplode.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Sala de Redação.
Integrantes homenageando os seus ídolos do Village People. Cacalo esteve ausente, pois neste exato momento, estava descascando uma para seu marido, o Danrlei.

Cquote1.png Você quis dizer: Sala de Pegação Cquote2.png
Google sobre Sala de Redação
Cquote1.png O Sala era! Cquote2.png
Lauro Quadros ao ouvir o jornalista Wianey Carlet dizer que "antigamente, na mídia brasileira, nenhum programa era de cunho homossexual".
Cquote1.png Em Porto Alegre, todo mundo sabe que todos do Sala de Redação são bichas velhas enrustidas, além de darem pro Tinga! Cquote2.png
Usuário do YouTube comentando o vídeo da discussão entre Ruy e Paulo Sant'Ana.
Cquote1.png Qualquer ignorante sabe que a coisa que o pessoal do Sala mais gosta de fazer é dar o rabo! Cquote2.png
Kenny Braga, homossexual assumido, sobre a opção sexual de Ruy Carlos Ostermann.

Características[editar]

Sala de Redação é um programa de debates eróticos, transmitidos pela Rádio Gaúcha. O programa é apresentado por seis jornalistas homossexuais conceituados. As discussões são apimentadas, falando na maior parte do tempo sobre sexo (principalmente entre os próprios integrantes). Às vezes, fogem do assunto, falando sobre Grêmio, Inter, política e alguns fatos da cidade de Porto Alegre. Além de sexo debates, o programa também é marcado por brigas, que acontecem sempre por causa de disputas amorosas. Todas as orgias que acontecem no estúdio entre uma e duas da tarde, são vigiadas pelo "voyeur" Glademir Menezes, que diz nunca ter se envolvido com nenhum participante do Sala. Apesar de ser reconhecidamente um programa de rádio erótico "EMOssexual", os integrantes do Sala tentam passar a ideia de se tratar de um debate sério sobre esportes. Mas na verdade, os participantes diariamente dão pistas da vocação para a viadagem radiofônica.

Histórico[editar]

"Queimar a rosca" é a especialidade dos integrantes do Sala.
As bixas reunidas.
Técnico da Itália diz que nunca viu homossexuais no futebol. É que ele nunca ouviu o Sala de Redação...

O Sala de Redação começou em 47 a.C, em Roma. Entre seus primeiros debatedores, figuraram nomes como Júlio César, que era o mediador, Marco Antônio, Otávio Augusto e Brutus. Nessa primeira fase, o programa era transmitido ao vivo do Coliseu, e ainda não se falava sobre futebol. O assunto principal era política, e adoravam "queimar a rosca", esporte mais popular da época. Logo no início, já ocorreu a primeira briga: numa edição do programa, o mediador César levou sua esposa, Cleópatra, para ser entrevistada sobre o governo do Egito. O mediador ficou sabendo que sua esposa cometia adultério com o colega Marco Antônio, e começou a brigar com o mesmo. Depois de alguns dias, Cleópatra se deixou ser picada por uma cobra (e daquelas bem grandes), porque soube que seu esposo e seu amante eram gays, e mantinham um caso às escondidas. O fim da primeira fase é marcado pelo dia que Nero (antecessor de Paulo Sant'Ana) ateou fogo no quarto de motel estúdio.

Os debates do Sala de Redação foram retomados em Jerusalem no ano 29 d.C, quando 12 participantes, tendo Jesus como mediador, debatiam sobre religião. Mais tarde, Leonardo da Vinci pintou a tela chamada "O úLtimo Sala", que mostrava Pedro, um dos participantes, com características femininas. Essa fase acabou quando Ruy Carlos Ostermann entrou no quadro de debatedores. Durante um programa, ele não deixou Pilatos dizer a "úLLLtima", que prontamente parou de transmitir o programa na sua rádio.

Depois da recessão mais longa, o programa vai ao ar no século XIV, quando Pedro Alvares Cabral, Cristovão Colombo e Vasco da Gama se unem a Paulo Sant'Ana e Ruy para debaterem sobre masturbação navegações à bordo de uma caravela rumo à Rádio Pirata. O programa acabou quando Ruy gozou a caravela afundou.

Ruy e Sant'Ana, tendo sobrevivido, convidaram Napoleão para ser o mediador do programa. Nessa fase, o programa era transmitido direto de Paris. Os historiadores garantem que muitas vezes os debates aconteciam no topo da torre Eiffel.

O Sala chegou ao Rio Grande do Sul, pela primeira vez, em 1836. Bento Gonçalves, Antônio Netto e Giuseppe Garibaldi convidaram Sant'Ana e Ruy para fazerem discussões de cunho separatista.

Anos mais tarde, Karl Marx tornou-se mediador. Mais um integrante do time atual ingressou no grupo: como Marx gostava muito da cor vermelha, convidou o colorado Kenny Braga para o comer debater no programa. Na época, havia boatos que Ruy, Marx e Engels dormiam juntos.

Considerado o maior programa de rádio de todos os tempos, o Sala de Redação teve a honra de entrevistar Marconi quando ainda era jovem. Passados alguns anos, ele volta ao programa para apresentar a sua nova invenção: o rádio. Vale lembrar que Landell de Moura foi mediador do programa durante um longo período, desenvolvendo a tecnica radiofônica no sul do Brasil.

Nos idos da década de 1930, o programa era sucesso absoluto no mundo inteiro. As fuguras mais ilustres da época faziam parte do quadro de debatedores: Adolf Hitler era o mediador e Getúlio Vargas, Franklin Roosevelt, Winston Churchill, Ruy Carlos Ostermann, Paulo Sant'Ana e Kenny Braga eram os participantes fixos. Lauro Quadros entrou em 1943, durante as férias de Vargas. Foi o período com a maior quantidade de brigas por segundo. A magnitude das brigas era tão grandes que certa vez lançaram uma bomba atômica no estúdio. Ruy namorava com Hitler, mas durante uma briga amorosa por ciúme da "amizade colorida do namorado com Kenny", Ruy trama um golpe e torna-se o mediador do programa, cargo que ocupa até os dias atuais.

Nos anos que seguiram, Guerrinha entrou no programa. Glademir Menezes, espião de uma emissora concorrente, é desmarcarado e contratado. Era o auge da Guerra Fria, tanto os americanos quanto os soviéticos proibiram os integrantes do Sala de fazer sexo durante o programa. Em 1971, o Sala de redação passa a ser transmitido pela Rádio Gaúcha.

O Sala volta a ser apimentado quando Cacalo, depois da decepção de não ter sido campeão do mundo com o Grêmio, é inserido nos debates.

Integrantes[editar]

Quem for veado aí levanta a mão!
Presentinho de Sant'Ana para o Professor...
  • Ruy Carlos Ostermann — Mediador. Comanda a orgia. Seu jeito absurdamente homossexual levou-o, naturalmente, ao cargo de apresentador do programa, além de torná-lo um dos mais ilustres - se não o mais - gays da história da humanidade. Os demais participantes sentem inveja dele, pois é amante secreto de Galvão Bueno. Já se relaciou com todos os integrantes do programa. Entretanto, as suas maiores paixões foram Kenny Braga, Lauro José de Quadros (com quem é casado e possui 3 filhos) e Paulo Sant'Ana - este último, inclusive, já acusou-o de ter mau humor durante o ato sexual. É visto frequentemente habitando as redondezas da rua Padre Chagas, em Porto Alegre, onde, conta a lenda, ataca os jovens rapazes que por ali passam.
  • Lauro Quadros — Conhecido também como "Laurinho", Lauro é o esposo do mediador. Todos dizem que ele tem "todas as ferramentas para o negócio". Ele, inclusive, já afirmou diversas vezes que "nunca é tarde para sair do armário". Um fato marcante na vida de Lauro foi quando ele, durante o Sala de Redação, confidenciou a todos que, na relação entre ele e Ruy, não existe o "passivo" e o "ativo". "É tico pra cá, tico pra lá", declarou Lauro. Outro acontecimento marcante foi quando admitiu a todos que, antigamente, era um dos únicos homossexuais da imprensa brasileira. O fato se decorreu quando o jornalista Wianey Carlet dissera que, no passado, "quase ninguém da mídia brasileira era veado". Lauro, então, interroupeu-o prontamente: "Eu era", disse ele. "Laurinho" adora um "chupete" e é o mais vaidoso do Sala de Redação. Nunca perde a "hora da balança".
  • Paulo Sant'Ana — Uma verdadeira "bicha louca". Já se relacionou com o mediador do programa, Ruy, e com Cacalo, outro participante. Hoje, nem lembra mais quando se relacionou com um homem pela "úllltima" vez. Tem inveja de Ruy, pois o mesmo "se aproveita do cargo de apresentador para poder dar o rrrabo". Sua homossexualidade está cada dia mais "ganhando o mundo". Assim como Ruy, é frequentador assíduo dos mais badalados bordéis da rua Padre Chagas, em Porto Alegre.
  • Kenny Braga - "Veado" fanático. O mais "falante" do programa (um veradadeiro "garganta profunda"). É homossexual assumido, conforme o site Wikipedia. "Qualquer ignorante sabe que a coisa que eu mais gosto de fazer na vida é dar o meu rabo", já declarou. Amigos próximos confirmam a sua fama de homossexual. "Ele adora dar para uns gurizinhos no banheiro", revela uma amiga próxima.
  • Guerrinha — O mais quieto e misterioso. Prefere a "guerra" do "cinco contra um" com Kenny Braga. Já expressou sem nenhum pudor, durante o Sala de Redação, a sua incontrolável vontade de "tirar as calcinhas de Ruy Carlos Ostermann". Adora dar uma "rapidinha" com o mediador do programa, que, inclusive, já enalteceu publicamente os dotes de Guerrinha. "Grande, Guerrinha", elogiou, certa vez, Ruy.
  • Cacalo — Caloteiro ex-dirigente e presidente do Gaymio. Uma espécie de Eurico Miranda sem grife. Tem até o cabelo comprido. Mesmo que ele negue, há quem diga que ele participou do caso "Poltrona 36" com os zagueiros Fábio Bilica e Capone. É viciado por testículos. A coisa que Cacalo mais aprecia na vida é a rola do Danrlei. Mas vem cá, e pode isso?
  • Wianey Carlet — O galã do programa. Os íntimos o chamam de "Wiagay". Como participa eventualmente do Sala, é cobiçado por todos os demais integrantes. É marcado por nunca se dar por vencido na cama. Sempre com ciúmes dos outros participantes, é protagonista de diversas discussões sobre sexo anal. "O Wianey é uma das pessoas mais putas que eu conheço", declarou, certa vez, Paulo Sant'Ana. Inclusive, Wianey, em uma festa de comemoração dos 24 anos do Sala de Redação, passou por uma situação curiosa: todos os participantes do programa possuíam um par para a festa; Kenny iria ao evento com Guerrinha, e Lauro Quadros iria com Sant'Ana. Entretanto, o mediador Ruy, sedento por um pênis grosso, ficaria sem par. Kenny, então, prevendo a situação, tratou de resolver o assunto: propôs que Wianey fosse a festa com Ruy, e, logo depois, transasse com o mesmo. "Wianey, será que tu não poderia comer o Ruy, hein?", perguntou Kenny. Wianey, então, prontamente respondeu: "Como!!!". Entretanto, um fato surpreendeu a todos: Wianey, há tempos, já transava com Ruy Carlos Ostermann. "Eu já como ele há tempos! Tem que se atualizar, não adianta...", confidenciou ele. Na ocasião, Cacalo estava chupando o pênis de Danrlei e não pôde comparecer a "festinha".
  • Glademir Menezes - O "voyeur". Apresentado como o técnico de som, ele fica do lado de fora do estúdio batendo punheta espiando as orgias do grupo.

Curiosidades[editar]

  • Em 1998 foi publicado o livro "Sala de Redação: erotismo no futebol", que traz, em diversos contos eróticos, a história dos encontros gays na Rádio Gaúcha.
  • Kenny Braga é único integrante do Sala de Redação que não possui automóvel. É o único que utiliza transporte coletivo. Na verdade, esta opção não se deve por uma medida de economia. É que Kenny prefere pegar o ônibus lotado para ser encoxado durante toda a viagem.

Vídeos[editar]

Ligações externas[editar]

Membros do Sala de Redação
CacaloGuerrinhaKenny BragaLauro QuadrosPaulo Sant'AnaRuy Carlos OstermannWianey Carlet