Sede Nova

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gauchodanc.jpg Mas bah, tchê!

Este artigo buenaço e tri-legal é do mais puro humor gaudério dos pampas, vivente, então veste tua bombacha, recolhe teu pelego no galpão e toma um mate amargo com a gente, macanudo!

Chima.jpg
Wikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Sede Nova.

Cquote1.png Mas o que tem de novo por aqui? Cquote2.png
Alguém sobre Sede Nova
Cquote1.png Você quis dizer: Nenhum resultado encontrado Cquote2.png
Google sobre Sede Nova

Cquote1.png Isso non ecziste! Cquote2.png
Padre Quevedo

Cquote1.png Tenho seguidores e colegas de partido lá. Cquote2.png
Paulo Maluf sobre Sede Nova


Sede Nova é um município brasileiro do estado dos grandes machões do do Rio Grande do Sul.

Sua história[editar]

Principal produto de Sede Nova

No ano de 1909 surgiram os primeiros imigrantes vindos de Cruz Alta, Jaguari, Santa Maria, Ijuí e Palmeira das Missões, com a finalidade de fixarem residência e tomar posse das terras já que estes caras já não tinham mais nada de importante na vida no que fazer.

A ambição destes desbravadores deu-se pela excelente qualidade das terras para a produção de drogas cereais e a exploração de madeira que havia em abundância, juntamente com a extração de erva-mate nativa e ervas medicinais naturais de escelente qualidade. Intensificou-se o comércio de madeira e erva-mate. Resolveram os agrimensores deixar uma reserva com loteamento demarcado para uma futura cidade, devido às dificuldades de transporte e locomoção entre as duas cidades, denominando esta reserva de Nova Sede. As autoridades determinavam uma data para se reunirem e resolver os problemas comuns entre os municípios, então diziam que iam se reunir na Sede Nova, pois era a metade do caminho para esses bandos de preguiçosos.

Como estes encontros eram realizados com frequência, surgiu a denominação do lugar como Sede Nova, nome que foi dado ao novo município numa emancipação burocratico, como sempre faziam.

Sede Nova é um cantinho de terra município da Região Metropolitana de Humaitá, no interior do interior do interior do Rio Grande do Sul. Desconhecida por ser uma vila de Humaitá cidade de primeira, pois ao engatar a segunda você já passou por ela. Sede Nova possui duas placas “bem vindos a Sede Nova” e “volte sempre” que devem ser lidos rapidamente pois uma está junto da outra. Uma das características do município é a Latinha. Afinal lá tinha FERCASER (festival da desafinação merdaneja), lá tinha fábrica de roupa, lá tinha industria de pepino, lá tinha um rodeio decente, la tinha a corrida rústica organizada pelo rachide, lá tinha uma linha de ônibus da sulserra, mas hoje nada disso tem mais. Seu território é caracterizado por um solo rochoso artificial feito pelos funcionários do parque de máquinas que estragam arrumam as estradas do município. Os principais meios de transporte são mula, égua, bicicleta, trator, carretinha agrícola e fusca uma vez que é impossível a utilização de outro veículo sem que ele tenha uma desvalorização em 50% devido a frouxidão que causará nas peças do automóvel. Sede Nova é também o único município que incrivelmente possui funcionários públicos analfabetos aprovados em concurso público trabalhando há mais de 10 anos no município. Aliás, os concursos também costumam ser rondados de mistérios sobrenaturais, como no caso do concurso em que parentes de prefeito, vice, presidente da câmara e demais puxa-sacos a fins gabaritaram as provas.

Sua geografia[editar]

Localiza-se a uma latitude pra lá de Bagdá e a uma longitude bem longenta, estando a uma altitude alta pra caralho. Sua população estimada em 2004 era de 2 938 habitantes, bem menos que 8 mil segundo o Scouter de Vegeta. Em monte belo é o ponto mais alto da Região Celeiro grande coisa!.

É chamada de "município da produtividade", por ser essencialmente agrícola, isso sem falar de drogasoutros produtos maliciosos e sodas no leite, mas que também gera muito money nas vendas ilícitas.

Jornais[editar]

Dois grandes merda meios de comunicação circulam semanalmente trazendo informação a população. O Fofoca Sedenovense em que uma bicha certo jornalista se adianta as demandas já em discussão para serem feitas no município, para depois dizerem que foi graças a pressão da mídia que tais conquistas foram alcançadas. Este jornal possui capa e contracapa com notícias locais e o resto é enchido linguiça completado com fofocas noticias de subcelebridades. O outro jornal é o Baba-ovo Noroeste, que consiste em transformar as porcarias que o executivo faz em grandes coisas para passar a ideia de que tudo está correndo bem.