Seleção Espanhola de Futebol

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Seleção Espanhola de Futebol
Banderaespaña.gif
Apelidos La FFFUUUria, La Floja ou La Cuartesa
("time das quartas-de-final")
Associação Real Federação Espanhola de Futebol
Confederação UFO
Técnico Vicente del Bosque (desde 2004)
Maior artilheiro Fernando Torres (desde 2007) (1284)
Recordista de convocações El Toro Pajarito (98478)
Posição no ranking da FIFA 10º (maio de 2017)

Cquote1.png Você quis dizer: Barcelona + Real Madrid Cquote2.png
Google sobre Seleção Espanhola de Futebol
Cquote1.png Experimente também: Espanhola Cquote2.png
Sugestão do Google para Seleção Espanhola de Futebol
Cquote1.png O jogador que eu mais gosto da Espanha é Ronaldinho. Ah, mas ele é brasileiro! Cquote2.png
Jose Maria Aznar sobre a Seleção Espanhola de Futebol
Cquote1.png Fizemos merda na Coreia, fizemos merda no Japão, e isso sem falar da Copa das Confederações que a vergonha foi ainda maior. Cquote2.png
Alguém sobre a atuação segura da seleção na Alemanha
Cquote1.png Ééééééé... não sei! Cquote2.png
Casagrande sobre a Seleção Espanhola de Futebol
Cquote1.png E enfim a Espanha é vermelha Cquote2.png
Santiago Carrillo

A Seleção Espanhola de Futebol é um conjunto de indivíduos vestidas de vermelho e controlados por don Luis Aragonés (Vicente del Bosque é um cyborg controlado por Aragonés e Javier Clemente), um tiozinho simpático que jogava futebol no Patético de Madri. Essas pessoas se reúnem a cada certo período de tempo para contar histórias, jogar CS e de vez em pouco, jogar uma partidinha ou outra de futebol.

Para fazer parte deste seleto grupo de seres humanos, há três formas de admissão:

  • Fazer parte da trupe circense FC Barcelona.
  • Fazer parte da agência de modelos Real Madrid.
  • Praticar o futebol profissional, e só então você poderá ver as comilanças e os passeios e ver as partidas do torneio do banco, sendo que você não pode dar uma desculpa para que sua viagem pareça necessária e você morrerá de vergonha.

Supõe-se que, en certos casos, pertencer a esse grupo garante como prêmio uma espécie de reinado, com o diferencial de que, por enquanto, o cargo não é hereditário. Por exemplo: o caso de Raúl que, com o objetivo de dominar o mundo, logo se tornou o chefe do grupo: está presente em todas as viagens e é escalado para todas as partidas, apesar de ter parado de jogar bola há muito tempo.

Seleção Espanhola na foto oficial do titulo da Copa do Mundo FIFA de 2010

História[editar]

Imagem da Seleção Espanhola chegando às quartas-de-final
A Espanha é uma seleção muito poderosa

A Seleção Espanhola de Futebol nasceu no ano 12 a.C., quando se reuniram em segredo Manuel Fraga e Franco para jogar uma de suas incontáveis partidas de petanca. Enquanto tirava um cochilo, Fraga teve um sonho em que ele e Maradona iam comprar lingeries de chocolate num supermercado junto com o Ursinho Pooh. Manoliño investigou sobre esse tal de Maradona e descobriu que jogava futebol com a seleção alviceleste. Em seguida, sua majestuosa e inigualável cabeça pensou: "O que tem pra comer hoje Manoli?"; e um instante depois, voltou a por em funcionamento seu sistema autopensante para dizer: "Espero que não tenha ovos porque tenho gases". Nesse instante, Franco entrou pela porta, saiu pela janela, e disse (rufar de tambores): "Criarei uma equipe nacional de futebol para que meus pântanos sirvam para algo". "Paco, o futebol se joga sobre a grama ou, por padrão, sobre escravos mouros". E Franco criou um estádio para que a Seleção Espanhola jogasse, afinal os mouros ainda não tinham sido inventados.

Mas e agora que a Espanha foi campeã do mundo da Copa do Mundo de 2010 e todas aquelas piadinhas da seleção ser amarelona perderem a graça? Mais quem se importa? A Alemanha e a Itália tem 4! MWAHAHAHAHAHA!

Viagens[editar]

As viagens da Seleção Espanhola seguem sempre uma estrutura clara:

  • J.J. Santos, o único jornalista sério e imparcial do país, começa a descrever o estado de animação de cada componente do grupo, divulgando inclusive as revolucionárias (que você já sabia quais seriam) palavras de algum deles.
  • J.J. Santos, o único jornalista sério e imparcial do país, reúne e divulga as declarações revolucionárias (que você já sabia quais seriam) do chefe do grupo, também chamado treinador ou Mister (curioso é alguém que só sabe falar espanhol dar-lhe um nome inglês)
  • J.J. Santos, o único jornalista sério e imparcial do país, começa a falar das grandes e certas possibilidades que o grupo tem de fazer algo grande.
  • J.J. Santos, o único jornalista sério e imparcial do país, faz com que que todos os torcedores ganhem uma Toyota e comemorem os gols no meio de um comercial.
  • O resto dos jornalistas, pouco sérios e parciais, começam a seguir as palabras desta divindade, mas colocando frases como "A vida pode ser maravilhosa", ou "Tiki, taka".
  • Uma semana antes de partir, o grupo se hospeda en um luxuosoo hotel de 5 estrelas ou um balneário com massagistas tailandesas, com o intuito de meditar sobre a difícil tarefa que terão pela frente: gastar toda a contribuição das empresas.
  • Dois dias antes de sair de viagem, a Seleção Espanhola de Futebol é a favorita, seja de uma Copa do Mundo, de um concurso de breguice ou de dança em qualquer balada da moda.
  • A partir daqui se sucedem, em intervalos regulares, os repórtes dando informações sobre o que comeram e quando comeram, os passeios para fazer a digestão e a alegria dos japoneses saudando Raúl.
  • De vez em quando, jogam uma partida de futebol que, normalmente é contra um time do nível da Seleção de Barbate, Atlântida Masters, ou do Clube dos Adoradores de Bonito em Lata, a qual vão empatar ou perder.
  • No fim desses jogos, os integrantes do grupo e o Mister recitarão os principais dogmas de sua religião: "Futebol é assim mesmo", "Jogamos melhor mas eles souberam aproveitar mais as chances", e um que também começa a ser usado por aquelas pessoas que se denominam suporte técnico: "Não existe time pequeno". Também é conhecido o mítico "Perdemos de 12 a 1 para a Seleção de Liechtenstein, mas desses 12 gols contra, 6 foram no própria gol, então o saldo final foi de 6 a 7, ou seja, nós fomos os vencedores justos da partida".
  • Nessa hora entram em ação os vencedores do Prêmio Nobel de Ciências Exatas, que demonstram uma estatística completa sobre a completa certeza de que a Seleção Espanhola vencerá o título da Copa do Mundo de Tomate.
  • Duas ou três comilanças, passeios, partidas e teorias depois, voltam pra casa de barriga cheia e recitando qualquer um dos dogmas já mencionados.
  • O final fica a cargo do sr. J.J. Santos, o único jornalista sério e imparcial do país que, com um solene "Não pode ser" e um "A Espanha foi melhor nesta partida, mas perdeu" fecha a temporada de viagens.

Conquistas esportivas[editar]

  • A Seleção Espanhola de Futebol é a melhor equipe do mundo quando se trata de chegar às oitavas e às quartas-de-final. Isso se deve à falta de memória de todos os jogadores, que esquecem que a Copa do Mundo e a Eurocopa só terminam uma semana depois.
  • A Seleção Espanhola conseguiu fazer com que se comemore, no Chipre e na Irlanda do Norte, o dia de suas vitórias sobre a Espanha como feriado nacional.
  • A maior conquista da Seleção, que será sempre lembrada por todos os espanhóis: ganhar de Malta, uma das 800 melhores seleções do mundo.
  • Campeã europeia em 1964, 2008 e 2012 (sim, precisava ser algumas vezesu, mesmo que fosse por pura estatística)
  • E com um milagre de El Touro Fuerte que nunca tira sua máscara ela conseguiu ser campeã da Copa do Mundo da FIFA de 2010, derrotando na prorrogação uma seleção mais azarada na copa do que ela mesma, a Laranja IrritanteHolanda que coisa, não?

Conquistas não-esportivas[editar]

Típico torcedor.

Bem, mas se os espanhóis têm tanta vergonha de sua seleção por ganhar menos títulos mundiais e europeus que o Vaticano, existem outras vitórias como:

  • 1º lugar em corrida de sacos.
  • 3º lugar em xixi à distância.
  • Medalha de plástico por terminar em terceiro em uma partida de tênis.
  • Medalha de honra pelo melhor brinde de Dia das Mães.
  • 1º lugar em beber cerveja en menos de 10 segundos.
  • 1º lugar no ranking da FICCA (Federação Internacional de Catarrada e Caroço de Azeitona) de arremesso de caroço de azeitona.

Seleção Espanhola segundo os sul-americanos[editar]

Depois que a América do Sul invadiu completamente a Liga Espanhola (sendo que também participou desta "invasão" Samuel Eto'o), a Espanha entrou em uma crise na qual os sul-americanos substituíam os espanhóis, que creem que a América do Sul se aproximou mais da Espanha. Então, criaram uma caserna de espanhóis valentes para derrotar os sul-americanos. "Ei, cara, começou a guerra!"

Na guerra houve muitas baixas, entre elas ...Ronaldo!, de quem tiraram tudo de brasileiro que tinha para fazer dele um "imbecil". E a América do Sul se viu beneficiada, porque assim não mais viam que seu futebol estava em decadência. Um dos motivos óbvios de sua transformação foi a lavagem cerebram que os espanhóis lhe fizeram, graças à Frikipedia. Planejam agora fazer o mesmo com Ronaldinho, mas usando a Frikipedia catalã... Con o passar dos tempos, as pessoas começaram a ofender todos os sul-americanos, africanos e ingleses. David Beckham viu que as espanholas ababavam por ele, então utilizou seu rosto para vender porcarias que você nem imagina o que são, mas que os espanhóis compram só porque o Beckham usa. Normalmente não se lava os pés, por isso a bola faz um efeito tão estranho quando sai o chute.

O último de que se tem notícia é Eto'o, que aceitou ser um ser maligno do Barcelona que tira a bola de seus pés e dá para seus companheiros, só para poder ser campeão e sair nas revistas. Ele acha que lhe odeiam principalmente por ser negro. Porém, mal sabe ele que, na verdade, ele é café-com-leite...

Desde então, não tem havido nenhum membro da Seleção Espanhola nascido na Espanha.

Mascotes[editar]

Todo mundo sabe que um time sem mascote não é um time. Por isso, a Seleção Espanhola de Futebol, para se achar mais que as outras (mesmo que não haja pessoa, animal ou coisa mais metida a besta), tem três mascotes: Naranjito (aquele da Copa de 82), Manolo do Bumbo e agora o Polvo Paul.

Teorias sobre as causas do fracasso[editar]

  • Os jogadores do outro time têm duas pernas: Está comprovado que, jogando contra times de entrevados e paraplégicos, a Seleção Espanhola poderia se sair muito melhor em suas partidas internacionais, talvez não pra ganhar a final, mas pra passar das quartas-de-final com certeza.
  • O treinador não é adequado: Qualquer espanhol com um mínimo de amor por futebol entende mais de escalações e esquemas táticos do que o cara que é escolhido para dirigir este circo, e que, indefectivelmente, sempre acaba fazendo merda.
  • Problema de proporções: Muitos jogadores se queixam de que o campo é grande demais para se correr por ele todo, que a bola é pequena demais pra se acertar um chute nela, e que o gol do outro time é estreito demais.
  • Lacunas no conhecimento das regras: Hoje em dia, muitos jogadores espanhóis achamq ue o que importa é fazer gol, não importa em que gol seja. Outros acreditam que, quando se vai bater um pênalti, é preciso acertar o goleiro para que valha.
  • Desorientação: Como o campo é tão grande, os espanhóis se perdem e ficam sem saber onde estão, nem onde está a bola, nem onde estão seus companheiros, o que os obriga a vagar pelo campo de jogo como patos enjoados. Ao que parece, a FIFA proíbe que eles usem o GPS.
  • Confusão e excesso de confiança: Depois de tantas competições com suas respectivas equipes, os integrantes do combinado español se enrolam com o regulamento dos torneios, e não estão preocupados em perder uma eliminatória, pois estarão convencidos de que vão ganhar o jogo de volta, sabendo que vão jogar em casa.
  • Falta de vocação: Os bons jogadores de futebol estão na seleção de basquete, onde também jogam bem. O time atual de futebol, na realidade, é composto de jogadores de petanca.
  • Preparo: Acredita-se que os jogadores não têm muito preparo físico. Após múltiplas investigações científicas, chegou-se à conclusão de que possuem menos preparo que o Paquistão.
  • Ou simplemente, porque são uns pernas-de-pau mesmo. Só assim se pode explicar que a Irlanda do Norte, que nem país independente é, marque três gols neles dando apenas quatro chutes a gol.

Ver também[editar]