Hermann Dembowski

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(dif) ← Edição anterior | ver versão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar
O Chuck aprova essa pagina.
A famosa mala. Se souber do paradeiro da mesma, por favor denuncie: 0800-EUVIAMALA. A imagem foi doada por nosso amigo Arnold Schwarzenegger, o único a conseguir tal façanha.

Cquote1.svg Você quis dizer: Pinguim Cquote2.svg
Google sobre Hermann Dembowski

Cquote1.svg Oh Well... Fifty Fifty Chance Cquote2.svg
J. Giede sobre comentário acima

Cquote1.svg Na Rússia, agente fode o Dembowski Cquote2.svg
Reversal Russa sobre - whatever !

Cquote1.svg Eu dei aula pra ele Cquote2.svg
Arnold Schwarzenegger sobre H. Dembowski

Cquote1.svg Ich hatte mal einen Freund. Er war schwul Cquote2.svg
Schnauzer sobre H. Dembowski

Cquote1.svg Ninguém tem paciência comigo Cquote2.svg
Chaves, após aula com H. Dembowski

Cquote1.svg Ich hab's akustisch nicht verstanden Cquote2.svg
Hermann Dembowski sobre todos os comentários acima

Cquote1.svg Liberté, Egalité, Fraternité Cquote2.svg
Dembowski sobre a Revolução Francesa

Cquote1.svg Nossa, você sabe falar latim! Cquote2.svg
aluna burra sobre comentário acima


A Origem e História de Hermann Dembowski[editar]

Notem o sorriso irônico e sarcástico do diretor. Cuidado: Pode enganar alguns à primeira vista !

Hermann Dembowski é um pinguim alemão, que veio ao Brasil para ocupar o cargo de diretor do currículo Bilíngue do Colégio Visconde de Porto Seguro U.II, em Valinhos, São Paulo. Logicamente, tal posição não possui prestígio algum perante outros profissionais da área, uma vez que sua influência sobre os alunos e funcionários é mínima.

Uma de suas brincadeiras estúpidas favoritas...

É conhecido por seu mau humor, que todas na maioria das vezes é irônico e sarcástico totalmente sem graça, apesar de que, convenhamos, ele se esforça.

Apesar das aparências, o sobrenome Dembowski não tem suas origens na Rússia, tampouco no norte da Alemanha - como insistem em dizer alguns -, mas sim no décimo terceiro círculo do inferno. É só seguir reto logo após a entrada, passar pelo Martinho Lutero e seu recital da Bíblia em Alemão (passe correndo) e virar à esquerda onde Hitler perdeu seu bigode, digo, onde Judas perdeu suas botas. Lá você encontrará um elefante cor-de-rosa de asinhas tocando saxofone de ponta cabeça. Pergunte para ele sobre a influência de Goebbels na política internacional na década de 40 e ofereça-o cookies de limão. Ele te contará sobre as origens do sobrenome enquanto toca o hino da Alemanha no saxofone pulando duas notas.


Curiosidades sobre Hermann Dembowski[editar]

Aqui vocês podem ver o Sr. Dembowski antes de sofrer o ataque que o privou de ter uma barba bonita normal. Ao fundo, sua bela mulher o espera, sem saber o que acontecerá em alguns instantes.

Muito, muito antes de se decidir pela sádica carreira de professor de alemão, em seus longínquos tempo de criança sadia e corada, nosso amado Hermann sonhava em ser um terrorista de renome. Seus amigos diziam querer ser funcionários de repartições públicas ou jogadores de cricket, mas nada disso encantava nosso pequeno anti-herói. Tudo o que sonhava era passar seus dias em meio ao cheiro de pólvora, suor de homem e xixi de rato (não, não o rato que vocês estão pensando), em esconderijos subterrâneos onde a polícia nunca o encontraria, planejando seu próximo atentado contra a padaria do seu Klaus. Nem mesmo as insistentes tentativas de seu grande amigo Elefantinho Rosa dissuadiram-no de seu objetivo principal. E assim ele persistiu em seu sonho. Infelizmente, aos 24 anos e meio, durante sua prova prática de admissão para a organização terrorista internacional Mão Branca, um erro quase fatal fez com que um dispositivo disparasse antes do tempo, explodindo a bomba que ele construía e deixando-o com uma irreversível falha na barba. Conta-se, no entanto, que o senhor Dembowski ainda não desistiu de seu sonho e protótipos de bombas hiper destrutivas dentro de maletas prateadas foram vistos dentro de seu escritório.