Canadá

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Imagesghh.jpg Este artigo é GELAAAAAADO!

Mamutes vigiam o artigo, então vá pra casa, coloque um casaco e beba um chocolate-quente. Cuidado com o Yeti e não lute contra Kula Diamond!

DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...o servidor da Desciclopédia fica no Canadá?


République anarchiste du Canada
Cana dá
Canabis
Bandeira do Canadá
Brasão de Armas do Canadá
Bandeira Brasão
Lema: Vive les alces, le frio, les castores e le canabis!
Hino nacional: Blame it on Canada

Localização de Canabis

Capital Toronto Calgary Québec Vancouver Montreal Ottawa
Cidade mais populosa Tô Tonto
Língua Francês e Inglês
Religião oficial Cannabis, ódio ao Toronto Maple Leafs e hóquei
Governo Ditadura da rainha da Inglaterra
 - Primeiro Ministro Ted Cruz
Heróis Nacionais Edge, Alces, Vacas, Celine Dion, Jim Carrey, Alanis Morissette, Wayne Gretzky, Nia Vardalos, Nelly Furtado, William Shatner, Michael J. Fox, Rainha Elizabeth, David James Elliot, os roqueiros do Rush, Simple Plan, Avril Lavigne, Wolverine, Pamela Anderson e Terrance e Phillip.
Área  
 - Total Maior que a dos Estados Unidos km² 
 - Água (%) 50
Analfabetismo
População Canadanses bêbados, ursos, alces e jogadores de hóquei 
PIB per Capita 300000 
IDH 0.999 
Moeda Dólar Canabiense (que não é a mesma coisa do americano)
Fuso horário AZT + 10 (Acre's Zone Time)
Clima Calor reverso canadense
Website governamental O servidor canadense acaba de ser destruído por uma nevasca

Cquote1.svg Você quis dizer: A cana dá? Cquote2.svg
Google sobre Canadá
Cquote1.svg Eu adoro o Canadá: sua tradição de coexistência pacífica, suas florestas... E, olha! Têm uma folha na bandeira! Cquote2.svg
Cosmo sobre Canadá
Cquote1.svg LA FRANCIA TROCÓ EL CANADiÁ POR UNA BANANA! Cquote2.svg
Evo Morales sobre Canadá
Cquote1.svg They are not a real country anyway! Cquote2.svg
South Park sobre Canadá
Cquote1.svg Ô Canadáááá!!! Canadáá essa terra queridaa!!!! Você nos dá o queijo!! Você nos dá o bacon canadenseeeee!!!! Cquote2.svg
Michael Kyle sobre Canadá
Cquote1.svg Mimimimimimimi... Oh Canadaaaa!!! How I hate this place... Cquote2.svg
Shawn Michaels sobre Canadá
Cquote1.svg Sunga, biquíni, maiô, calor infernal e piscina? Então, vem cá nadá! Cquote2.svg
Google sobre Canadá

Canadá é um país grande e vazio onde o nada se une a lugar nenhum. Esquecidos pelos Estados Unidos e ignorados pelo resto do planeta, são marcados pelo frio, pelos uniformes maneiros da Polícia Montada, pelo frio, pela liberdade de seus cidadãos, pela homossexualidade, pelo frio, pelos emos, pelo frio, pelas droguinhas injetáveis, pelos alces e... também... pelo frio. Dizem ser um país independente, e negam a realidade a todo custo quando são expostos à evidências de que a Rainha Elizabeth II da Grã-Bretanha ainda possui documentos nos quais aparece como legítima proprietária do Canadá.

Por vários motivos os canadenses tem certa vergonha de seu país e todo canadense que alcança certa fama (por exemplo, Celine Dion, Jim Carrey, Pamela Anderson, Alanis Morissette, Avril Lavigne, Ryan Renolds, Keanu Reeves, etc.) agem como se fossem na verdade cidadãos dos Estados Unidos e praticamente esquecem do Canadá.

O símbolo do estado é uma folha de bordo. Pode-se rir de seu significado, mas existem grandes poderes por trás desse símbolos muito mais brilhantes e dominadores que um leão ou uma águia de duas cabeças. O bordo é uma planta aceráceas com sementes escondidas conhecida por seus efeitos estimulantes sexuais. Uma folha de bordo anexado às zonas erógenas com muita eficiência protege o povo da província de Nunavut das geadas locais.

História[editar]

Povos ameríndios[editar]

Os vikings tornaram-se amigos dos esquimós, mas depois de mais uma discussão sobre o melhor tratamento para o bacalhau salgado, seu relacionamento se rompeu abruptamente.

De acordo com geólogos boateiros através de uma ciência chamada achismo, os primeiros homens chegaram no Canadá há cerca de 40.000 anos, indo parar ali através do Estreito de Bering, que estava congelado e podia ser caminhado, enquanto as mulheres chegaram alguns dias depois porque preferiram ir de balsa. Esses primeiros imigrantes vieram da Ásia e provavelmente eram refugiados da Guerra Mongol-Mamute que ocorreu por volta de 38.000 a.C. que durou 60 anos e resultou em milhões de mortes. É por isso que até hoje está no gene canadense um traço de covardia. A palavra "esquimó" utilizada para se referir aos nativos canadenses significa "comer carne crua e deitar-se com alces".

Os primeiros não canadenses a chegarem no Canadá foram os vikings, que estavam experimentando uma rota alternativa para Minnesota, onde queriam comprar sorvetes de batata doce. Esses intrépidos vikings acabaram se perdendo no caminho e se tornando esquimós. O primeiro europeu a tocar as costas do Canadá foi, no ano 1000, o viking Eriksson das Folhas, filho do dono da Groenlândia® e um conhecido fabricante de trombetas. Eriksson se estabeleceu em Newfoundland, que ele chamou de Vinland porque os moradores nativos pareciam falar como bêbados, e lá ele construiu a primeira igreja cristã. Os vikings canadenses eram conhecidos por sua famosa cortesia canadense, onde sempre antes de invadir uma aldeia mandavam uma carta com 1 semana de antecedência dizendo: “Desculpe por incomodar, mas gostaria de avisar antecipadamente, com sua permissão ou não, que suas terras serão invadidas, suas casas saqueadas, suas mulheres estupradas e suas crianças vendidas para a Tailândia, eh? Nos certificaremos de limpar tudo ao sair, e prometemos não fazer muito barulho, especialmente durante os escalpelamentos.”

Eventualmente, os vikings europeus abandonaram seus postos avançados por causa da degeneração das relações com os nativos, causada por um desentendimento sobre o uso de peles de focas, animais que os vikings consideravam fofos demais para serem mortos a pauladas. Isso mostra que os vikings não eram realmente bastardos sanguinários como costumam ser retratados; na verdade, eles foram os únicos que não exterminaram os povos indígenas do Canadá.

Colonização[editar]

Os ateus acham que esse lago foi feito por acaso. Os cristãos acham que um mago criou esse lago. Mas foram os colonizadores canadenses que o criaram no Parque Nacional Jasper.

Em 1529, o explorador francês Jacques Cartier passou pelo Canadá enquanto procurava Atlântida. Dado aquele terreno não reivindicado por ninguém, Cartier achou melhor afixar a bandeira francesa ali e dar-lhe o nome de Nouveau Petite France, mas depois de uma baita festa com os iroqueses, após acordar da ressaca decidiu renomear a região para "Cana dá".

A pretensão da Coroa Francesa e seu rei era arrumar um cara jovem para fazer sexo loucamente criar na América um ambiente muito semelhante ao europeu, ou seja, uma França americana. Para tal enviaram milhares de cafetinas e fundaram muitos cabarés numa região inóspita ao norte a qual ficou conhecida como Nova França. No entanto, a iniciativa não deu certo porque os poucos homens que estavam na América tinham preferência pelas índias, que tomavam banho regularmente e não tinham tantas perebas no corpo. A França, que foi para a América do Norte em busca de ouro ou algo assim, em vez disso, encontra apenas alces e a decepção foi enorme.

Incapazes de colonizar uma vastidão tão inóspita, em 1763, os franceses vendem a Nova França para o Reino Unido pelo preço de 300 libras esterlinas em vouchers para compra de produtos jequiti. Os britânicos, já muito acostumados em lidar com lugares inóspitos, colonizaram muito bem o Canadá, agindo muito diferente dos franceses e simplesmente ignorando totalmente aquele território nada lucrativo.

Enquanto isso, vale lembrar que ao oeste os russos estavam por ali bem perdidos e impressionados em como esse tal "Canadá" era tão inóspito quanto a Sibéria. Os russos sabiam que não dariam conta de cuidar de duas sibérias, então venderam o território para os britânicos, mas o Alasca jamais foi do Canadá.

Guerra de 1812[editar]

Canadenses queimando a Casa Branca em 1814, evento que chocou tanto os americanos que eles ignoram os canadenses até hoje. Os canadenses por sua vez pedem desculpas até hoje pelo ocorrido.

O Canadá teve também sua própria guerra civil, quando o Quebec atacou o resto do Canadá para decidir se falariam francês ou inglês. Alexander Mackenzie, um francófono assumido, vence a Le Compte Jean-Jacques Claude le Duc du Gastonsalisbury Chardonnay Sauvignon Blanc na Batalha das Planícies do Alce Manco, o que representou o desfecho da guerra civil, unificando o Canadá para sempre desunido por duas línguas. Apesar da população francesa seguir vivendo no país, a organização e a forma de vida adotadas seguiam o modelo inglês, pautado pelo chá das cinco e pela violência nos estádios. Alexander Mackenzie ficou famoso na ocasião por sua frase: “Se eles querem falar como bichas, que falem, desde que paguem seus impostos para Ottawa!”

Tal como o filme Independence Day (mas sem o imenso orçamento, explosões ou Will Smith) um desconhecido exército vindo do sul (que tinham como símbolo uma águia), usando uma tecnologia incompreensível, invadiu o Canadá em busca de donuts, embora a sorte para os canadenses é que os invasores foram congelados e não conseguiram muita coisa. Esta foi a Guerra de 1812, um movimento audacioso dos Estados Unidos que invadiu o Canadá para torná-lo o 51º estado do seu país. Os canadenses afirmam com veemência que eles venceram a guerra, mas não é isso que parece quando o Toronto Raptors joga na NBA, o Toronto FC joga na MLS, o Toronto Maple Leafs joga na NHL, e o Toronto Blue Jays joga na MLB. O que ocorre é que os americanos ficam tão assustados com o jeito dos canadenses que preferiram fingir que não venceram conflito nenhum.

Confederação canadense[editar]

Assustados com aquela invasão gringa que deu errado em 1812, alguns anos depois em 1867, todos os canadenses decidiram se unir e constituir uma confederação, pois unidos ficariam mais fortes e mais quentinhos durante o inverno. A oportunidade foi comemorada com uma festa onde amarraram latinhas de cerveja no chifre de alces de corrida. Embora tenham chamado de "confederação", obviamente aquilo se tratava de uma federação, mas chamar de “federação” iria lembrar o Brasil, enquanto “confederação” lembra mais os Estados Unidos. A opção não poderia ser mais óbvia. Como uma região não conseguia respeitar o direito de outras a, digamos... ter opinião, a coisa não deu certo...

Ao contrário da Confederação Americana que havia sido fortemente rejeitada alguns anos antes, os britânicos conheciam a educação canadense e souberam que a tal Confederação Canadense era só canadenses fazendo canadices, ou seja, criando mais burocracia e mais conjecturas políticas para enfiarem seu país num tédio maior que ficar sentado na tundra parado o dia inteiro.

Guerras Mundiais[editar]

Uma unidade naval canadense que lutou bravamente na Segunda Guerra Mundial.

Nos anos que se seguiram, nada aconteceu de importante no Canadá, a não ser a independência, consolidada pelo Estatuto de Westminster, em 1932. Para comemorar a sua independência política, os canadenses concordaram em viajar para a Europa para lutar uma guerra que nada tinha a ver com eles e ajudar os ingleses e os franceses, uma gentileza submissa que jamais foi esquecida. Mesmo em ambiente hostil, dada a presença de um porrilhão de inimigos, o ambiente de guerra era mais agradável que o frio intermitente do verão, inverno, primavera e outono canadenses, logo os soldados canadenses tiveram importante papel na guerra.

A única utilidade desses bravos soldados era o de servir de chamariz, isca ou levar tiros na frente dos estadunidenses. Ou você acha que aquele trouxas das fileiras de frente do Dia D não eram todos canadenses? Pois bem, o país atuou como coadjuvante em quase todas as iniciativas dos aliados na Guerra. Após a rendição dos alemães, os canadenses gentilmente se retiraram e não participaram das decisões tomadas após o fim da guerra, como divisão de territórios capturados, espólios roubados, distribuição dos objetos de Adolf Hitler que foram encontrados no bunker, etc.

Cquote1.svg Americaines fils d'une pute! Cquote2.svg
Canadense sobre ter ficado de fora de todas as negociações

Independência enfim[editar]

Em 1979, Pierre Trudeau levanta uma grande revolução e com seu Partido Liberal marcha até o Palácio da Rainha e o declara propriedade de Ontário. Ele então forçou o monarca apontando uma arma para sua cabeça (na realidade, por se tratar de um canadense, ao invés de uma espingarda ele usava uma daquelas vassouras de curling e pediu com licença e por favor) e forçou a assinatura que tornasse o Canadá independente e obrigou o parlamento britânico a escrever toda a Constituição do Canadá em inglês e em francês, afinal daria muito trabalho os próprios canadenses escreverem sua constituição e eles queriam evitar a fadiga.

O documento foi finalizado em 1982 porque os britânicos tiveram muita dificuldade em escrever em francês, mas o Canada Act foi homologado pela Rainha. Após concluída a constituição, foi também entregue ao Canadá tropas dos Estados Unidos porque os britânicos prometeram nunca mais pisar no Canadá.

Eventos recentes[editar]

Atualmente o Canadá é um dos países mais ignorados do mundo e só serve para exportar Donuts, Xarope de Acer e documentários sobre a vida dos alces, salmões e ursos pardos. Por ser uma monarquia, o primeiro-ministro é eleito por hereditariedade e Justin Trudeau assumiu o cargo após o falecimento de seu pai e herói da independência Pierre Trudeau.

Geografia[editar]

Garotas curtindo o verão canadense.

Há quem diga que o Canadá é o Acre do Mundo, um país grande e parcialmente desconhecido em algum lugar acima da América. Faz fronteira com o Oceano Ártico ao norte, o Oceano Atlântico a leste, o Oceano Pacífico a oeste e os Estados Unidos ao sul. Assim, embora o Canadá seja uma ilha, geograficamente está classificado como pertencente ao continente norte-americano. A parte principal do Canadá é a tundra e um deserto glacial.

A vegetação do país é riquíssima, o Canadá está cheio de árvores, especialmente de bordos. Como você já deve ter deduzido pela bandeira, os canadenses têm uma obsessão mórbida por essa planta e pelos produtos dela derivados. Eles colocam xarope de bordo em todos os lugares, até mesmo na pizza. As folhas secas de outono, em vez de varrê-las das calçadas, os canadenses usam-nas para cobrir todos os locais onde não há árvores, como estacionamentos, escolas, e onde mais puderem espalhar essas folhas para dar um efeito único na paisagem.

Mas apesar de sua grande quantidade, o bordo compõe ainda apenas 10% da paisagem canadense, pois os demais 90% são pinheiros e tundra, uma região deserta onde as renas e os alces dominam. As autoridades locais aconselham ninguém a atravessar a tundra, pois existe o perigo real de ser atacado por gangues de renas dedicadas ao roubo e assassinato. Acredita-se que esta região inóspita seja a terra natal do Papai Noel, o reino encantado dos Smurfs e a terra mágica dos Teletubbies.

Enfim, se você como muitas pessoas pensa que o Canadá é um país onde só existe gelo, neve, lagos congelados e pinheiros... então está certo, não há mais nada lá.

Se bem que há... Eles nos deram o Wolverine (o que é uma alegria para os nerds e para as gurias retardadas que se masturbam vendo o Hugh Jackman, que é australiano, logo não tem nada a ver com o cidadão), mas infelizmente trouxe Justin Bieber, agora sim, não há nada mais lá.

População[editar]

Discionario em png.PNG O Descionário possui um verbete sobre Canadense
Balbúrdia feita por Hooligans canadenses após a derrota do time da cidade. Claro, depois a consciência ficou pesada e cada um trouxe sacolinhas da casa para arrumar a bagunça.

Com uma população de 38 milhões de habitantes, é como se você pegasse toda Grande São Paulo e espalhasse pelo Brasil inteiro. Demograficamente, Justin Bieber representa apenas 1% da população, enquanto os demais 99% são canadenses não tão viadinhos assim, mas ainda bem afeminados e educados. Em uma população tão pequena, há diferenças consideráveis ​​de salários: o residente mais rico, Justin Bieber, ganha 50 milhões de vezes mais que o mais pobre, um lenhador da floresta, mas nenhuma desigualdade salarial incomoda os pacíficos canadenses que permanecem unidos, não importa o tamanho do país. A proporção de estrangeiros é incrivelmente pequena: o único estrangeiro é o embaixador chinês no país, Ju Maijing, que fala 56 línguas e os demais estrangeiros são todos imediatamente naturalizados assim que chegam, tanto que daqui há pouco o Canadá será um país multilíngue: inglês, francês e chino-indo-pakistano-braso-mandarim-inglês, tal é o número de imigrantes se mudando para lá.

Um grande problema é a minoria francófona do Quebec que fica triste e magoada quando é rotulada como estrangeira pelos demais canadenses. O Quebec é a terra natal dos franceses, que odeiam os canadenses que falam inglês, e esses odeiam os imigrantes que falam várias línguas e também odeiam os franceses. Enfim: é um povo que vive em paz e harmonia eterna... até que alguém perca a paciência e afunde o Canadá de vez.

O povo canadense sofre de falta de identidade nacional devido ao fato de ter passado os últimos anos pagando pau para os americanos, assistindo seus seriados e comendo o mesmo tipo de comida, tudo enquanto até hoje ainda são servos leais da Rainha da Inglaterra. Hoje, alguns canadenses têm começado a se arrepender disso, mas tarde demais para conseguirem voltar atrás.

Sobre os supostos chineses que vivem em Vancouver que são mais números que os que trabalham na Liberdade, em São Paulo, eles na verdade são os famosos esquimós que também contribuem com uma larga parte da população. Já na Nova Escócia há uma pirralhada que toca gaita insuportavelmente!

Política[editar]

No Canadá é permitido que prostitutas concorram a cargos políticos contra os filhos de suas colegas de trabalho (os filhos da puta dos políticos), como nas eleições de Toronto em 2014 que Nikki Benz quase foi eleita com o slogan "vocês jamais serão mais fodidos que eu".

A constituição do Canadá remonta a 1982 e é um livro com papel perfumado de bordo e encadernado em pele de marmota, além de conter também algum glitter, que naquela época estava na moda. De acordo com esse sagrado livro, o cargo mais alto do governo é o de Governador-Geral que provisoriamente substituiu a Rainha da Inglaterra enquanto ela não está no Canadá. O Governador-Geral também tem certas prerrogativas como ser o Comandante-Chefe da Polícia Montada Canadense, o Presidente da Seleção Nacional de Hóquei e o Chefe dos Limpa-Neves. O poder executivo, porém, está nas mãos do primeiro-ministro, eleito democraticamente no Dia da Marmota através da hereditariedade do fundador do Canadá, Pierre Trudeau.

A principal política externa canadense é não fazer nada que possa parecer um ato concreto, que ameace seriamente seu caráter mítico aos olhos do restante do mundo. Assim, ele envia regularmente submersíveis (em todos os sentidos da palavra) em uma missão de paz no exterior e nunca é realmente notado, sempre deixando toda fama e glória para os Estados Unidos desde a Guerra do Golfo. A outra política canadense principal é negar a soberania de outros estados, tipo essas Abecásia e Palestina da vida, algo que é até bastante razoável, considerando que o Canadá não tem soberania também.

A capital canadense está localizada na insípida Ottawa, seu parlamento é semelhante a um iglu gigante, e o governo canadense aumentou recentemente suas preocupações em relação ao aquecimento global e o degelo do histórico prédio. Além de tudo isso, ainda têm aquela Elizabeth II como rainha... quer coisa mais insossa?

Já as políticas de imigração canadenses são extremamente rígidas, apenas os seguintes tipos de pessoas podem obter a cidadania canadense: Aqueles que nasceram em território canadense; e aquele que nasceram em qualquer outro território do mundo mas se mudaram pro Canadá. Portanto, todos aqueles que estão ilegalmente no Canadá serão severamente repreendidos por meio de um memorando escrito em MAIÚSCULAS, convidando gentilmente aquela pessoa a se retirar do país o mais rápido possível, e se em 3 anos a pessoa não tiver deixado o Canadá, o governo tomará providências a respeito disso naturalizando aquele cidadão e garantindo a ele todos direitos canadenses e agradecer pela preferência.

Subdivisões[editar]

Algum gênio teve a ideia de dividir o enorme Canadá em províncias, mesmo que algumas tenham menos de 10 habitantes. Por questões políticas e administrativas o mais producente seria dividir o Canadá em Quebec e resto do Canadá, mas como a suposta Província do Resto do Canadá ficaria grande demais, ela foi dividida em nove províncias. Ao todo, portanto, são dez províncias e três territórios. Cada uma das províncias possui um certo grau de boiolice autonomia em relação ao governo federal, podendo criar leis e roubar pessoas. Além disso, as províncias são responsáveis pelo fornecimento de serviços como educação sexual e saúde pública, por exemplo. Cada província possui um certo número de vikings na Câmara dos vagabundos Comuns e no Senado.

Já os territórios, por sua vez, possuem um grau de autonomia menor em relação ao governo federal, sendo que muitos serviços públicos (como sexo), de responsabilidade provincial nas províncias, são de responsabilidade do governo federal nos territórios. Como todos os três territórios só tem neve e pinheiros eles nem fazem questão de querer autonomia, pois não saberiam o que fazer.


Economia[editar]

O típico quintal de uma residência canadense.

Apesar do nome sugestivo, o Canadá é um país que incrivelmente nunca contribuiu com nada para o mundo. Tente citar quatro coisas que o Canadá nos deu... Pois é, mesmo sendo ricaço não consegue competir nem com o Brasil... isso mesmo, BRASIL. O Canadá está sempre chorando na OMC porque os brasileiros são ofensivos demais e mandam os canadenses só tomar no cu no mercado de fabricação de aviões comerciais e na pecuária.

O pilar da economia canadenses acaba sendo os madeireiros. A Chamex e a Gina possuem sua sede lá, enviam seus funcionários para o Canadá em férias para cortar árvores, cuja madeira é então processada em papel e palito de dente respectivamente. Essa é a chamada economia sustentável. O principal destinatário dos palitos de madeira é o vizinho mais próximo e único do Canadá, os EUA, onde azeitonas são muito apreciadas, o que requer o pequeno item de madeira.

Os outros grandes setores da economia do Canadá são pornografia de loiras siliconadas, bacon, xarope de bordo, piadas sujas, desenhos animados de baixa qualidade, música pop lixo e cortesia. As vezes também pode haver uma fusão de qualquer uma dessas áreas mencionadas (por exemplo, pornografia + desenhos animados = Três Espiãs Demais).

No setor industrial destaca-se as fábricas de pele de castor, um setor que os canadenses lideram no mundo, pois não existe outro país no mundo com tantos castores. Muitas coisas são feitas de um castor abatido: A pele se transforma em chapéus felpudos, a carne abastece os McDonald's, a gordura vira o óleo de fritura da Mary Brown's, os ossos são triturados para virarem Nuggets, e as garras e cartilagens viram chicletes. Este ramo da economia está em ascensão e pode até ultrapassar o cultivo do bordo em cerca de 5,38 anos. Esse é um grande nicho de mercado, que só cresce apesar das críticas por parte de ambientalistas.

Turismo[editar]

Observar a paisagem estática e branca de tudo congelado e inapropriado para uso é o grande passatempo dos turistas no Canadá.

Cquote1.svg Está com calor? Então vem Canadá! Cquote2.svg
Slogan turístico do Canadá

Só visita o Canadá quem quiser ficar forever alone e se isolar das coisas que acontecem no resto do mundo, como a Luiza que está no Canadá.

O Canadá é um tradicional destino turístico graças à hospitalidade de seu povo. Ao contrário dos vários países xenófobos da Europa ou mesmo os EUA, os canadenses não ligam pra sua cor de pele, pro seu péssimo inglês e nem para quem você tenha se casado. O único requisito é você gostar de hóquei no gelo e será aceito como cidadão canadense logo em seu primeiro dia no país. As opções no Canadá são bem variáveis pois estamos falando do segundo maior país do mundo em área territorial e você pode explorar todos esses 9.984.670 km² de gelo, neve, pinheiros e muito frio.

Infraestrutura[editar]

Transportes[editar]

Principal avenida da cidade canadense de Rankin Inlet.

O sistema de transportes no Canadá é considerado um dos mais perigosos e radicais do mundo, superando até países como Índia e Salvador na Bahia. Essa característica em nada tem a ver com ausência de código de trânsito ou educação de motoristas, mas sim com a possibilidade de uma nevasca chegar do nada e soterrar teu veículo te congelando feito feijão esquecido para sempre congelado num pote de sorvete no fundo do freezer de uma geladeira. Essa peculiaridade resultou até na criação de programas-documentários muito famosos, como o Estradas Mortais do History Channel que mostra como dirigir no Canadá é o mesmo que jogar curling, mas usando veículos de metal de algumas toneladas, e também o Pesca Mortal que mostra a vida de canadenses navegando no Alasca para chegar em Alberta e precisando lidar com o perigo de sua embarcação ser virada a qualquer momento por uma rajada de vento frio de 200 quilômetros por hora.

Mas fora isso, um destaque peculiar vai para os charmosos bondes elétricos vermelhos de Toronto que são movido a mentiras. Quanto mais um canadense mente no interior desses veículos, mais ele aumenta de tamanho e de velocidade, vencendo qualquer barreira de neve que houver pela frente.

Segurança[editar]

A Real Polícia Montada do Canadá (RCMP), facilmente reconhecidos por suas casacas vermelhas, são considerados o corpo militar mais mortal do mundo, e também o mais cortês. Por exemplo, eles só usam bastões acolchoados com espuma e antes de invadir uma boca de fumo que também é um antro de tráfico de prostitutas, eles tocam a campainha e pacientemente esperam ser atendidos. A polícia canadense nunca impede um fugitivo jogando-o no chão e você jamais verá um George Floyd canadense, pois a polícia do país altamente treinada em direitos humanos vai apenas seguir o infrator dizendo "Por favor, pare, por favor por gentileza pare senhor, me acompanhe até a delegacia... senhor, me desculpe, mas você precisa parar de fugir". E apesar disso esses policiais não devem ser tomados como frouxos, eles passaram por treinamento militar severo em Alert e são especialistas em lançar shurikens em forma de folha de bordo, fazem perseguições loucas em patins de gelo e podem lutar contra ursos pardos com as próprias mãos. Que eles morrem no processo é outra história.

Quanto às Forças Armadas, o Canadá não as tem. Eles contam que qualquer inimigos que queiram os invadir terão de passar pelos Estados Unidos o que seria meio impossível. Eles tem até uma força especial que tem ótimos atiradores de elite (mas eles só sabem fazer isso), que se chama Joint Task Force 2.

Cultura[editar]

Um típico vandalismo canadense. Posteriormente o cidadão se arrependeu e voluntariamente comprou o cimento e mão de obra para refazer essa calçada, pedindo desculpas e se apresentando à delegacia mais próxima.

Basicamente, o principal e mais glorioso objetivo do Canadá neste planeta é abrigar o Servidor da Desciclopédia, fonte de cultura e sabedoria sem limites. Entretanto, não se pode deixar de ressaltar a enorme diversidade cultural canadense que não se limita apenas a imitar a cultura estadunidense. Ou não. Isso porque os canadenses deveriam ter aprendido a trabalhar como americanos, curtir como os franceses e ter o refinamento intelectual dos ingleses. Em vez disso, eles trabalham como franceses, curtem a vida como ingleses e tem o refinamento intelectual dos americanos.

A cultura canadense está focada em provar a todos, e especialmente a si mesmos, que eles não são americanos. Por isso é um costume na cultura deles dizer obrigado e desculpas o dia todo, e nem se preocupe, eles não amam você, esse hábito é só para você não pensar que eles são desalmados desgraçados igual os estadunidenses.

O que se observa, então, é que o Canadá não tem cultura própria, e exatamente por isso a presença de outras culturas no país é bastante relevante, pois como lá é muito frio e os homens tem dificuldades para ter ereções, ocasionando baixíssimas taxas de natalidade, a entrada de imigrantes é muito intensa para poder roubar as canadenses dos nativos e criar um país mais multicultural. Assim sendo, boa parte da produção artística canadense é feita por pessoas descendentes ou vindas de outros lugares, como, por exemplo, Nelly Furtado que é luso canadense ou Riza Santos que é filipina-canadense. Entretanto, ainda no ramo da música, o Canadá tornou-se especialista em revelar cantoras, como a própria Nelly, Alanis Morissette, Céline Dion, Avril Lavigne e Justin Bieber. No que se refere à influência dos EUA, o governo canadense obriga que rádios e emissoras de televisão passem, pelo menos, 5% de programas nacionais.

No mais, as atividades preferidas são: deslizar com trenós puxados por cães, caçar castores, observar alces, fazer comércio de madeira, comer peixe 3 vezes ao dia, ver a aurora boreal, ver o Sol da meia-noite no verão e assistir pornografia esquimó.

Idioma[editar]

Canadenses a caráter para cantar "Oh Canadá! Eh?"

Um dos principais traços culturais do Canadá é o seu bilinguismo, que não é uma pessoa com duas línguas, e sim um país onde se falam duas línguas, sendo que significativa parte delas fala tanto justin-bibense, quanto árabe. A maioria dos rapazes canadenses falam justin-bibense durante a maior parte do tempo, e o árabe quando querem passar uma cantada, porque é mais 'explosão amorosa'.

Mas já tem uns anos que o Canadá vem caminhando para se tornar um estado multilingue no qual algumas pessoas mais normais falam inglês, enquanto os habitantes de Québec murmuram um pouco de francês e os nativos falam inuíte e élfico (os duendes do Papai Noel que vivem no Canadá). Uma grande quantidade de canadenses, no entanto, acredita piamente que falam francês, embora os franceses da França quando visitam o Canadá ficam perplexos quando e deparam com esses canadenses falando "francês" quando na verdade soam como se estivesse vomitando enquanto enfiam donuts em sua boca o mais rápido possível, tudo ao mesmo tempo. É por isso que por volta do século XVII os líderes do mundo francófono decidiram resolver esse problema criando uma nova língua para os chamados canadenses "franceses" falarem. Assim nasceu o inglês.

Quanto aos canadenses que falam inglês, eles inventaram uma palavra chamada "Eh?" (com interrogação, que é parte obrigatória da palavra, para dar o ênfase) que foi criada para se diferenciarem do inglês dos Estados Unidos. Não se sabe porque, mas esse "Eh?" é a resposta mais comum dos canadenses a tudo e talvez sua origem venha do idioma de algum dos antigos povos indígenas.

Por razões legais (§419.3 Parágrafo 3 da Lei da Língua Canadense), o aramaico deve ser mantido como a língua oficial em respeito aos 149 membros da minoria aramaica original que vivem no Canadá, por isso esse idioma também se tornou uma língua obrigatória nas escolas primárias canadenses a partir de 1 de fevereiro de 2006.

Esportes[editar]

Esporte nacional. Vê-se o campeão canadense de matar focas a golpes de tacape na cabeça.

Apesar de seu pequeno número de residentes, o Canadá conseguiu trilhar seu caminho até a elite do hóquei no gelo mundial. Há muitas razões para isso: tráfico ilegal de doping do Alasca, a aquisição do hóquei no gelo da Rússia, toneladas de gelo disponível para treino ou simplesmente o maldito tédio que os canadenses sofrem todos os dias que precisa ser descarregado num esporte onde dar socos e porradas de taco faz parte da regra. Mas vários outros esportes de neve são populares, incluindo esqui cross-country, curling e truco. Por isso o Canadá se destaca só nas Olimpíadas de Inverno, tendo papel inexpressivo no esporte mundial em geral... na verdade, poucas pessoas conhecem o país porque não acontece muita coisa por lá.

O esporte nacional muitas vezes é creditado como sendo o hóquei no gelo - porque o futebol americano canadense consegue ser mais confuso do que o dos yankees e nem os canadenses gostam daquilo - mas na realidade o passatempo favorito dos canadenses é matar focas a golpes de machadada. Aparentemente é algo bem cruel, mas a prática é muito justificada pelos antropólogos: Verifica-se que desde tempos imemoriais os antigos canadenses nativos têm uma consciência social, espiritual e ambiental e assim perceberam que em seu território habitaram criaturas malignas que planejavam conquistar o mundo, mas como as tais focas morrem com um simples golpe na cabeça, ficou decidido que matá-las seria mais fácil. O resultado natural foi essa prática se tornar o esporte nacional.

Práticas de esporte ao ar livre são raras, dado o fato de que a temperatura é de -40 graus Celsius durante 6 meses. No verão, entretanto, se faz balé, porém ao lado de uma fogueira e numa temperatura pouco acima de -10 graus.

Religião[editar]

A maioria dos canadenses não pertence a nenhuma religião, eles apenas praticam seus cultos de adoração à natureza que adotaram dos poucos esquimós que ainda estão vivos. Por exemplo, o trabalho é interrompido em todas as cidades das 10h00 às 14h00 para homenagear o grande deus do sol. Os turistas, em particular, têm que se acostumar com a suspensão de trabalho durante esse período, pois a eletricidade também é desligada durante essas 4 horas.

Existem também alguns grupos marginais que são católicos ou satanistas, entre outras coisas, com os satanistas em particular ganhando cada vez mais influência nos conselhos e prefeituras do país.

Servidores da Desciclopédia[editar]

Existe uma grande tensão diplomática entre o Canadá e o resto do mundo por ele hostear um site com humor medíocre e piadas antigas e repetitivas, a Desciclopédia, sendo considerado uma arma que pode causar danos mentais reduzindo o QI de uma pessoa em até 80%. Exatamente, o servidor da Desciclopédia está em algum lugar, e esse lugar é o Canadá.

Carla Perez era indicada a três prêmios Nobel, entre eles, física, medicina e o da paz, mas foi exposta a tal arma canadense e hoje está como vocês a conhecem.

Flag map Canada.png Canadá
HistóriaGeografiaDemografiaPolíticaSubdivisões
EconomiaMoedaTurismoCulturaBandeiraBrasãoHino
Itza Oxxo.png
América
v d e h

América Central: Antígua e Barbuda | Bahamas | Barbados | Belize | Costa Rica | Cuba | Dominica | El Salvador | Granada | Guatemala | Haiti | Honduras | Jamaica | Nicarágua | Panamá | República Dominicana | Santa Lúcia | São Cristóvão e Nevis | São Vicente e Granadinas | Trindade e Tobago


América do Norte: Canadá | Estados Unidos | México


América do Sul: Argentina | Bolívia | Brasil | Chile | Colômbia | Equador | Guiana | Paraguai | Peru | Suriname | Uruguai | Venezuela


Territórios: Anguilla | Aruba | Bermudas | Bonaire | Curaçao | Groenlândia | Guadalupe | Guiana Francesa | Ilhas Cayman | Ilhas Falkland | Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul | Ilhas Turcas e Caicos | Ilhas Virgens Americanas | Ilhas Virgens Britânicas | Martinica | Montserrat | Porto Rico | Saint-Barthélemy | Saint Martin | Saint-Pierre e Miquelon | Sint Maarten

Flag of OCDE.jpg
Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico
v d e h

Países membros: AlemanhaAustráliaÁustriaBélgicaCanadáChileCoreia do SulDinamarcaEslováquiaEspanhaEstados UnidosFinlândiaFrançaGréciaHungriaIrlandaIslândiaItáliaJapãoLuxemburgoMéxicoNoruegaNova ZelândiaPaíses BaixosPolôniaPortugalReino UnidoSuéciaSuíçaTchéquiaTurquia

OTAN
Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN)
v d e h

Países Membros: AlbâniaAlemanhaBélgicaBulgáriaCanadáCroáciaDinamarcaEslováquiaEslovêniaEspanhaEstôniaEstados UnidosFrançaGréciaHungriaIslândiaItáliaLetôniaLituâniaLuxemburgoMacedônia do NorteMontenegroNoruegaPaíses BaixosPolôniaPortugalReino UnidoRomêniaTchéquiaTurquia