Crimes ambientais

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Poluicaoatmosferica01.jpg Este artigo está poluído!

Pegue uma máscara de oxigênio e uma garrafa vazia
para carregar ar. COF! COF! COF!


Asogaaaaaa.jpg Este artigo contém VENENO!

Este artigo... precisa de antídoto... Ele pode se tratar de... algum animal, pessoa, lugar... ou composto... Ele pode... conter materiais tóxicos... como lactose ou glúten... Chupe a picada ou morra... argh! (morri)


Você que está lendo também é um criminoso safado! Toda sua merda vai pra água, cagão de merda!

Crimes ambientais são aqueles crimes que aparecem na televisão e ficam dias, semanas, meses ou até anos sendo mostrados. Ué, esses não eram os crimes hediondos? Sim, também, mas no Brasil o que mais acontece é desgraça. Incêndio, extinção, poluição, pichadores, só merda!

Como o próprio nome dá a entender, a não ser que seja uma daquelas coisas que têm um nome e fazem algo contrário ao que dá nome a elas, crimes ambientais se tratam de crimes ao meio ambiente, ou seja, coisas que deixam o Capitão Planeta puto da vida.

Na legislação[editar]

O sofrimento do animal alheio também é crime ambiental

Na legislação brasileira os crimes ambientes estão dispostos na lei 9605 de 1998, que inovou ao se criar crimes de pessoas jurídicas. Pessoas jurídicas, por exemplo indústrias poluidoras, agora podem ser penalizadas. Claro que elas não vão presas porque é um pouco trabalhoso levar essas indústrias em cana, só o Reducto, vilão do Homem-Pássaro consegue prender um prédio gigante.

Tal lei de crimes ambientais também inovou em criar um tutorial de banimento, analisando a situação do infrator antes do motivo de bloqueio, por exemplo, se a pessoa criminosa é retardada, se é pobre fodida sem grana pra reparar as coisas, se o crime causado poluiu uma Hiroshima inteira, etc.

Aqui se notam tipos penais diferentes num mesmo crime: estupro, crime ambiental e abandono de incapaz (quando nascer o centaurinho)

Em Portugal a lei que cuida dos crimes ambientais é a lei Ora Poixx ó Gajo, de 1500, que foi lançada despenalizando o desmatamento de pau-brasil e permitindo abate de índios da mesma forma que se poderia matar insetos e pragas.

Antigamente não existia uma lei própria no Brasil, e quando se diz antigamente é da época da Copa do Mundo da França pra trás. Só o que tinha era uma lei do Getúlio Vargas permitindo a caça aos comunistas e uma lei criada na época da ditadura militar, liberando a caça aos comunistas, o mais próximo que chegamos de uma lei pra defender animais em extinção antes de 1998.

Definição[editar]

Vários jogos de Atari no lixo; um desperdício e uma contaminação radioativa com um dos piores jogos de todos os tempos, ET

Crimes ambientais são situações que afetam o meio ambiente, seja poluindo, eliminando algo, enfeiando, retirando, caçando e vários outros gerúndios que deixam a natureza vandalizada. Situações como santinhos de políticos, barulho merda tipo música brasileira, gritos de esposa revoltada, fedor de peido azedo, contaminação fecal em açudes devido a moleques cagões de esquistossomose, artigos criados através de um texto da Wikipédia trazido para a Desciclopédia com leves alterações cômicas e outros crimes são coisas cotidianas as quais conhecemos bem, e estraga o meio no qual vivemos.

Desde quando se ensinava Estudos Sociais em vez de História e Geografia se falava em situações porcas que estragam o meio ambiente, mas só descobriram que esses estragos ao meio ambiente eram crimes quando a grana monetária do país já era o real.

O ser humano é cruel; na imagem, uma luta de WWE de baratas - entretenimento para o público, dor para os animais vitimados

Há situações que podem tornar o crime ambiental cometido mais foderoso ou mais de boas, por exemplo, para agravar a pena do maledeto, a reincidência é uma forma de mostrar que o agente é um cuzão mesmo, tipo os vândalos aqui da Desciclopédia. Agora quando o agente tem problemas mentais severos ou baixo grau de instrução a pena dá uma amenizada.

Como o Brasil não dá a mínima para o meio ambiente, as pessoas que cometerem um crime cuja pena seja de três anos ou menos, por exemplo jogar fogo na Amazônia e queimar 200 hectares (tamanho de um país em chamas), há possibilidade de suspensão condicional.

Crimes em espécie (quase literalmente)[editar]

Aguenta que lá vem porrada na cara. Atualmente temos umas centenas de milhares de crimes ambientais, alguns são bem idiotas tipo "matar um dinossauro esverdeado aos domingos em época de reprodução", portanto, por sermos um site sério, melhor só listar as paradas realmente necessárias para nossa vida em sociedade.

Tais crimes afetam milhares de espécies endêmicas nacionais e por isso se chamam crimes em espécie. Lógico que há extinções que nós até gostaríamos e que, pelo princípio da insignificância, nem podem ser consideradas crimes como "acabar com esses malditos pernilongos que aparecem de noite fazendo bzzzz"

Crimes contra os animais[editar]

Pescar animais exóticos também é crime. Nesse caso, foi capturado um peixe-saco-de-idoso

Os crimes contra os animais são aquelas infrações penais que afetam os animais irracionais, desconsiderando os profissionais comentaristas e locutores esportivos que possuem lei própria contra acéfalos e anencéfalos, e crimes contra viados e bichas, animais da fauna brasileira que entram em crimes de homofobia do bem e Lei Maria da Penha.

O crime de trazer animais estrangeiros para o país, tipo Carlos Tévez e Dejan Petković é um crime tipificado na lei dos crimes ambientais nacional que é altamente desrespeitada. Na Austrália deixaram rolar e deu no que deu, apareceram uns animais chamados dingo matando pessoas.

Exportar material feito com anfíbios e répteis é outro dos crimes ambientais, mas também o Brasil ignora esse crime, enviando milhares de quilos de couro de jacaré pra França, dezenas de milhares de cascos de tartaruga pro Japão e centenas de milhares de pererecas depiladas para a Europa e Dubai.

Produzir sofrimento em animais, sejam fisicamente ou moralmente, é outro crime e bem comum no nosso cotidiano. Até parece que essa lei de crimes ambientes serviu só para o Legislativo dizer que trabalhou algum momento da vida. Nesse crime incluem-se experiências de autópsia com sapos, típicas de escolas norte-americanas, morder cabeça de morcegos ou pombas, vestir indefesos cachorrinhos machos com vestidinho, transar com animais de grande porte, entre outras coisas as quais vemos diariamente.

Pescas nocivas não foram esquecidas. Pescar animais com água de esgoto, explosivos, arpões de índio, aquelas redes gigantes que puxam milhares de tainhas, água de tinturaria ou com máquina de choque, bem como pescar em épocas proibidas como na pororoca, piracema, perereca e seriema, e em locais proibidos como no Rio Tietê e em esgotos - ninguém quer liberar crocodilos gigantes ou mutantes portanto deve sim ser penalizado.

Crimes contra os vegetais, fungos e seres em estado vegetativo há mais de dois anos na cama[editar]

Poluição química e sonora

É possível notar que a gente se importa mais com vegetais do que com animais. Todos gostam de plantar samambaia em casa, mas quem planta seu próprio lhasa apso nos vasos? Fumar maconha é legal pois é vegetal, lamber sapo é coisa do capeta porque é animal; porra! É com essa mentalidade do "fodam-se os animais" que a lei foi criada, portanto vários crimes contra as plantas são listadas, em detrimento de crimes contra os animais.

Dentre os crimes ambientais em defesa dos vegetais há os seguintes:

  • Jogar fogo intencionalmente em matagais, liberando aquela fumaça catinguenta que entra até nos carros;
  • Fazer sexo selvagem em áreas preservadas, esmagando a vegetação rasteira e gramíneas do ambiente;
  • Deixar o morto ali vegetando, em vez de desligar logo o aparelho;
  • Soltar balões de Festa Junina. Aliás, soltar balões é penalizado, mas e quanto aos retardados que viajam de balão, tipo o Adelir de Carli, aí pode?
  • Usar, fazer, comprar, vender, ... (trinta e cinco verbos no infinitivo) ... alugar, fumar ou socar no ânus carvão feito com madeira de árvore preservada;
  • Destruir vegetação pública e mijar em moitas públicas, aquelas árvores cortadas em forma de cabelo black power que nós, aliás, os bêbados, usamos usam como mictório;
  • Vender motosserra sem licença; alguém deveria ter feito essa lei no Texas.

Crimes que afetam os cinco sentidos humanos[editar]

Pichação é um crime ambiental, exceto quando se tratar de arte, igual a esta imagem

Estes são os famosos crimes de poluição, que afetam nossos sentidos: visão, audição, olfato, tato, paladar, sentido de ver espíritos, e a explosão cósmica interna que libera todo o poder universal. São os crimes de espalhar lixo, fumaça, artigos merdas em wikis humorísticas, veneno, fedor de cu, música alta, pichação, etc.

Nesta lei de crimes ambientais também entram os crimes contra edifícios e outros ambientes construídos, que eu não sabia que eram seres orgânicos. Bom, como afetam o sentido da visão, as obras do Oscar Niemeyer e os quadros do Romero Britto deveriam ser penalizados.

Outros crimes[editar]

São os crimes cometidos por servidores públicos ou por corruptores. Somente quem trabalha no IBAMA ou em indústrias multinacionais como a Poluições e Caganeira S.A. entram nessa lei portanto crime próprio e não precisamos saber delas.

Ver também[editar]