Mudanças entre as edições de "Intelectual"

Ir para navegação Ir para pesquisar
28 bytes adicionados ,  21h40min de 15 de setembro de 2019
== Introdução ==
[[Imagem:Intelectual.jpg|thumb|right|Ou se é intelectual, ou [[Bonito|bonito]]. As duas [[Coisa|coisas]] ao mesmo [[Tempo|tempo]] não dá]]
Diz-se do ser, supostamente, super inteligente, cujos [[Neurônio|neurônios]] se movem em [[Velocidade|velocidade]] maior que a do [[Flash]] para refletir, planejar, projetar teoremas que só ele entende ou que não servem para absolutamente nada, a não ser para reprovar alunos vagabundos que nem [[VOCÊ]] em disciplinas de Teoria Geral nas universidades pagou-passou no Brasil afora. Todo intelectual tem completa aversão às palavras trabalho, trampo, labor, serviço e correlatas. Há dois tipos de intelectual: o que nada faz além de manter sua mão segurando o queixo para não dormir, e o que tenta fazer alguma coisa e invariavelmente faz merda. Neste segundo tipo temos aqueles que tentam ser presidente, comentarista econômico, educador, conseguir um programa de entrevistas na TV ou escrever livros. E isso, como todos sabemos, são coisas completamente inúteis.
 
Devemos lembrar que os intelectuais quase foram extintos durante o período da Dita dura[[Ditadura]], porém muitos deles conseguiram migrar para o exterior para escapar da Dita duraDitadura, pois a dita duraditadura queria arrombar todos que não concordassem com suas imposições. Se você não sabe o que foi a Dita duraDitadura, pergunte ao [[teu pai]] ou ao teu avô, pois eles devem lembrar bem da Dita duraDitadura (certamente foram lembranças bastante '''dolorosas''').
 
Hoje eles não representam tanto perigo assim, pois são geralmente encontrados em bibliotecas, nos arredores de universidades fumando maconha, em bares decadentes frequentados por semelhantes e numa livraria tomando café, com a mão no queixo para não cair em cima da mesa.
Usuário anônimo

Menu de navegação